Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 21 de novembro de 2016. Atualizado às 07h58.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Cobre e outros metais são impulsionados por fala de Xi Jinping e dólar fraco

Os futuros de cobre operam em forte alta na manhã desta segunda-feira (21), mantendo a tendência da madrugada, favorecidos por comentários do presidente da China, Xi Jinping, e pela fraqueza do dólar ante várias moedas.

Por volta das 8h10min (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) avançava 2,4%, a US$ 5.565,00 por tonelada, e outros metais básicos seguiam a mesma tendência.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para dezembro tinha alta de 2,17%, a US$ 2,5210 por libra-peso, às 8h35 (de Brasília).

No sábado, o presidente chinês declarou que seu país é favorável a um acordo de livre comércio na região da Ásia e do Pacífico. Xi falou durante reunião de cúpula anual de líderes da Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico (Apec, na sigla em inglês), realizada em Lima, no Peru.

Um eventual acordo comercial pode levar a China, maior consumidor mundial de metais, a ampliar suas importações. Segundo Xi, seu país planeja importar US$ 8 trilhões em bens nos próximos cinco anos e investir US$ 750 bilhões no exterior.

Além disso, o índice do dólar se enfraquece nos negócios da manhã, tornando o cobre e outros metais mais atraentes para investidores que utilizam outras moedas.

Recentemente, o cobre acumulou fortes ganhos em meio à expectativa de que o futuro governo do presidente eleito dos EUA, Donald Trump, amplie gastos em projetos de infraestrutura, gerando maior demanda por metais.

Entre outros metais na LME, o alumínio para três meses subia 1,1%, a US$ 1.714,00 por tonelada, enquanto o zinco avançava 0,8%, a US$ 2.580,00 por tonelada, o chumbo ganhava 2,1%, a US$ 2.181,00 por tonelada, o pouco negociado estanho tinha valorização de 1,8%, a US$ 20.555,00 por tonelada, e o níquel aumentava 2,2%, a US$ 11.165,00 por tonelada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia