Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 20 de novembro de 2016. Atualizado às 21h43.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Negócios Corporativos

Notícia da edição impressa de 21/11/2016. Alterada em 20/11 às 20h31min

Programa chinês pode favorecer Embraer

Depois que a Embraer anunciou o fim de toda a sua produção de jatos executivos na China, em junho, uma nova medida do governo local pode dar à fabricante brasileira uma segunda chance na aviação comercial do país. O órgão responsável pela aviação civil chinesa acaba de editar uma mudança na regulação, definindo que as companhias aéreas comerciais entrantes precisarão constituir uma frota com ao menos 25 aviões de até 100 lugares antes de partirem para a compra de jatos maiores.
A iniciativa é parte do programa de investimento em infraestrutura de transporte que inclui a construção de aeroportos e subsídios a companhias aéreas regionais.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia