Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 18 de novembro de 2016. Atualizado às 09h05.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 18/11 às 10h08min

Dólar sobe ante real, na esteira da cautela externa pós-Yellen

O dólar sobe ante o real na manhã desta sexta-feira (18), acompanhando o movimento visto ante a maioria das moedas, se sobrepondo ao efeito dos leilões de swap cambial do Banco Central. Segundo operadores, o risco Brasil também sobe e é um sinal da postura defensiva do investidor, com temores de fuga de capitais de emergentes, e reforçada pelo fim de semana, em dia de agenda doméstica esvaziada.
Às 9h30min, o dólar à vista no balcão subia 0,35%, a R$ 3,4283 e o dólar para dezembro avançava 0,22%, a R$ 3,4415.
No exterior, o Dollar Index, que a pesa a divisa americana ante uma cesta de outras, atingiu nova máxima em 13 anos mais cedo, após dados positivos de quinta dos Estados Unidos e o discurso da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, reforçarem as apostas de alta de juros naquele país em dezembro.
Nesta sexta, o presidente do Fed de St.Louis, James Bullard, disse estar inclinado "a apoiar uma elevação de juros em dezembro". Ele disse ainda ser provável que a política do novo presidente eleito nos EUA, Donald Trump, impulsione a economia do país em 2018 ou 2019.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia