Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 17 de novembro de 2016. Atualizado às 08h45.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 17/11 às 09h48min

Após queda de ontem, petróleo volta a focar Opep e ensaia recuperação

Os futuros de petróleo operam em alta moderada na manhã desta quinta-feira (17), ensaiando uma recuperação após as perdas da sessão anterior, em meio à especulação sobre a possibilidade de a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) seguir adiante com planos de reduzir sua produção.
Ontem, os preços da commodity recuaram entre 0,5% e 0,7%, em reação a uma atualização desfavorável dos estoques dos EUA. Na semana passada, o volume de petróleo bruto estocado nos EUA teve expressivo aumento de quase 5,3 milhões de barris, bem maior que o acréscimo de 1,1 milhão de barris previsto por analistas, segundo o último levantamento do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês).
Por outro lado, o DoE também apontou uma queda na produção de petróleo dos EUA e maior uso da capacidade instalada das refinarias.
Hoje, os investidores voltarão a ficar atentos a negociações da Opep para ratificar um acordo preliminar que prevê corte na produção do grupo.
A Opep, que é formada por 14 países responsáveis por mais de um terço da produção mundial, está tentando formalizar um pacto para reduzir sua produção a algo entre 32,5 milhões e 33 milhões de barris por dia, ante o nível recorde de 33,83 milhões de barris diários em outubro.
O ministro de energia saudita, Khalid al-Falih, deverá se reunir hoje com os colegas da mesma pasta da Rússia, Alexander Novak, e do Catar, Mohammed Saleh Al Sada, às margens de um fórum sobre gás que está em andamento em Doha, segundo pessoas com conhecimento do assunto.
Alguns países da Opep, como Iraque e Irã, têm mostrado relutância em participar do acordo. A expectativa é que o cartel se esforce para fechar um pacto durante reunião de cúpula marcada para o próximo dia 30, em Viena.
Às 9h (de Brasília), o petróleo tipo Brent para janeiro subia 1,05% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 47,12 por barril, enquanto o WTI para dezembro avançava 0,75% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 45,91 por barril.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia