Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 16 de novembro de 2016. Atualizado às 09h49.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 16/11 às 10h51min

Taxas de juros recuam em linha com dólar, apesar de cautela no exterior

Os juros futuros acompanham o dólar e recuam desde a abertura desta quarta-feira (16) tendo também alívio vindo da expectativa com o leilão de recompra de NTN-F que o Tesouro realiza nesta data às 11h30min. No exterior, no entanto, prevalece a cautela e o dólar sobe ante a maioria das moedas.
O recuo do dólar ante o real reflete a ação mais agressiva nesta quarta do Banco Central com oferta de até US$ 1,5 bilhão em contratos de swap tradicional, dos quais US$ 500 milhões são em contratos novos, segundo um operador de uma corretora.
Às 9h40min, o DI para janeiro de 2018 estava em 12,49%, de 12,54% no ajuste anterior. O vencimento para janeiro de 2019 estava em 12,15%, de 12,23%, enquanto o DI para janeiro de 2021 exibia 12,32%, de 12,42% no ajuste de segunda-feira.
Nos EUA, os juros dos Treasuries voltam a subir, com investidores esperando que a política fiscal expansionista proposta por Donald Trump impulsione a economia norte-americana e a inflação, abrindo espaço para alta dos juros básicos no país. No horário acima, o juro da T-note de 10 anos avançava a 2,275%, de 2,240% no fim da tarde de terça-feira.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia