Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 16 de novembro de 2016. Atualizado às 01h35.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Gestão

Notícia da edição impressa de 16/11/2016. Alterada em 15/11 às 20h45min

Inovação exige a readequação de empresas

Novas tecnologias surgem diariamente e o desafio das empresas que querem se manter competitivas em qualquer mercado é acompanhá-las. E a indicação, válida para produtos e serviços, deve começar pela visão acerca dos negócios. É o que defende a ADVB-RS que, recentemente, passou por um diagnóstico operacional estratégico em busca de atualização para atingir novos públicos. Para discutir o tema, a entidade promove o Fórum da Transformação 2016, que acontecerá nos próximos dias 16 e 17 de novembro.
O evento é a fusão do Congresso e do Top de Marketing, produtos tradicionais da associação. "Corremos um risco grande ao levarmos dois produtos tradicionais a uma reestruturação. Resolvemos seguir o princípio de que para inovar precisamos pensar fora da caixa", explica o diretor-executivo da entidade, Alexandre Cruz. A sentença, segundo ele, aplica-se à  própria economia do Rio Grande do Sul, que também deve repensar a sua matriz empresarial. "Não podemos ficar sempre com exportações de baixo valor agregado", completa.
A filosofia do evento é de que a inovação feita somente por especialistas não é produtiva. Pensando nisso, Cruz comenta que a noite de premiações do Top de Marketing foi remodelada, deixando para trás uma estrutura tradicional para premiar estratégias específicas que as empresas estão utilizando. 
Uma das palestrantes será a jovem empreendedora Juliana Hoch, que criou um líquido de conservação de órgãos que, além de baratear o processo, também estende o prazo do transplante. "Ela, com 20 e poucos anos, conseguiu fazer o que muitas pessoas não conseguem a vida inteira", destaca Cruz.
O dirigente deixa claro que a intenção é tratar de transformações tragam benefícios a população e não sejam contidas em si. "Os agentes de mercado procuram transmitir isso, fazer diferença na vida de quem circunda eles", pondera. "Trazemos insights que não são herméticos do marketing, que não são puramente acadêmicos ou encerrados em seus conceitos."
Para a entidade, o debate de marketing precisa se dar a partir de quatro plataformas, tema que estará também presente no evento. "São os Cs da transformação: comunidade, conhecimento, comportamento e comunicação", explica Cruz. Segundo ele, isso está dentro do conceito cíclico de aprendizado evolutivo, que observa comportamentos que ditam rumos de mercado, aprende com a tendência e coloca em prática. "O novo pelo novo não muda nada", conclui.
Além de Juliana, também compõem o time de palestrantes o vencedor do prêmio Empreendedor Social do Futuro 2015, Fernando Assad, o presidente e fundador da JR Diesel, Geraldo Rufino, o diretor-executivo da Dexi Marketing, Sérgio Barbi, e o prefeito-eleito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Jr.

ABRH-RS debate estratégias de gestão para diferentes gerações

A convivência entre diferentes gerações no ambiente empresarial desafio os gestores. "O que cria a sinergia no mundo de trabalho é a admiração. Não importa a idade da pessoa, importa se ela é admirada", alega o presidente da ABRH-RS, Orian Kubaski, ao propor que o caminho para o bom relacionamento é o respeito mútuo
Para ele, cada geração tem atributos diversos a oferecer às empresas. Enquanto os mais jovens são nativos da era digital, os mais velhos carregam bagagem de conhecimento em seus cargos. "Quando você consegue fazer essas gerações notarem que existe uma interdependência, você cria uma perspectiva muito boa nas organizações", afirma Kubaski.
Este é o tema do 15º Fórum de Gestão de Pessoas, promovido pela entidade, que ocorrerá no dia 17 de novembro, na Feevale. Kabuski acredita que discutir as gerações será sempre necessário dado a incidência da questão no ambiente de trabalho. "A abordagem do evento será um pouco diferente. Fugindo dos especialistas neste assunto trouxemos uma dupla que, a priori, não tem a ver com a questão", comenta.
O jornalista Caco Barcellos será um dos palestrantes. Kabuski explica que através de seu programa, Profissão Repórter, o jornalista acumulou conhecimento empírico para tratar do assunto. A outra fala será da doutora em Educação Terezinha Rios, que tem viés acadêmico e educa jovens para o mercado de trabalho.
Também haverá um painel transgeracional, com a presença do sócio-fundador da Marelli Ambientes Racionais, Francisco Antonio Santos; do presidente do Grupo Dimed, Julio Mottin Neto; e do sócio-fundador da Joker, Rodrigo Hoffmann. A mediadora será a professora e pesquisadora da Feevale, Maria Cristina Bohnenberger.
 

Fusões e aquisições em debate na Capital

O Brasil está passando por uma retomada do crescimento da economia conforme apontam indicadores como o corte na taxa básica de juros, queda na inflação e a volta de investimentos internacionais no País. Com a perspectiva de um cenário mais positivo, a Lippert Advogados realizará nesta sexta-feira, dia 18 de novembro, a partir das 8h15, o evento Fusões e Aquisições: Preparando sua Empresa. O encontro ocorrerá na Rua Manoelito de Ornellas, 55, Torre Corporate, Auditório, em Porto Alegre/RS. As inscrições são gratuitas e limitadas mediante reserva antecipada. Interessados podem confirmar interesse pelo email [email protected]
"O mercado internacional volta a olhar o Brasil como país de boas oportunidades. No último trimestre, de acordo com a Transactional Track Record (TTR), dos US$ 98,9 bilhões movimentados em fusões, aquisições e investimentos de venture capital e private equity no Brasil - um avanço de 109% em relação ao mesmo período do ano passado -, cerca de US$ 46,2 bilhões, ou 46,7%, foram desembolsos de investidores estrangeiros. O brasileiro não tem uma cultura internacional de investimento difundida. Muitas vezes os empresários não conseguem compreender a complexidade das negociações. A insegurança jurídica e o sistema tributário também assustam, o que paralisa o processo. Por isso, a preparação é fundamental", destaca George Lippert Neto, sócio-diretor da Lippert Advogados, ranqueado pela Chambers and Partners (Guia Internacional Jurídico) como um dos três principais advogados na área Corporativa/Comercial do Sul do Brasil.
No evento, serão debatidos temas como compra e venda de empresas, valuation, aspectos jurídicos nos processos de negociação, captação de investidores e governança corporativa. Para isso, um time de especialistas com experiência em diversas áreas do mercado nacional e internacional, irá mostrar para empresas, corporações, empreendedores e startups a importância de se preparar este cenário.
A abertura do evento será feita pelo advogado George Lippert Neto. Élbio Schwarz, sócio da Tasch Consultoria e Gestão, ministrará o painel Avaliação de Empresas. Juliano Langaro, advogado e sócio da Lippert Advogados, falará sobre Aspectos Jurídicos. O sócio da CRP e pós-graduado em Gestão de Empresas e especialização em Venture Capital, André Lenz, apresentará o painel Captação de Investidores. Encerrando o dia, Jorge Cardoso, presidente da Neteam e professor da Fundação Dom Cabral, irá ministrar o painel Papel da Governança na preparação de M&A.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia