Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 10 de novembro de 2016. Atualizado às 11h39.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria automotiva

Alterada em 10/11 às 12h41min

Intenção é assinar acordo automotivo com Paraguai ainda este ano, diz ministro

Acordo é tentativa para elevar possibilidades de exportação das montadoras do Brasil

Acordo é tentativa para elevar possibilidades de exportação das montadoras do Brasil


GENERAL MOTORS/DIVULGAÇÃO/JC
O Brasil pretende assinar ainda este ano o acordo automotivo que vem sendo negociado com o Paraguai, afirmou nesta quinta-feira (10) o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira. "As discussões estão avançadas", disse o ministro, sem dar detalhes do acordo. Ele terá reunião com o ministro paraguaio da Indústria e do Comércio, Gustavo Leite, em São Paulo no próximo dia 27.
O acordo com o Paraguai é a mais recente tentativa do governo de elevar as possibilidades de exportação das montadoras instaladas no Brasil. "A indústria automotiva brasileira não pode ser competitiva apenas nacionalmente ou regionalmente, mas globalmente", disse o ministro, que citou os acordos assinados recentemente com Uruguai, México, Colômbia e Peru, os dois últimos ainda em fase de formalização.
Pereira reforçou ainda que o governo tem conversado com as entidades do setor automotivo para a elaboração de uma nova política industrial para entrar em vigor em 2018, em substituição ao Inovar Auto, que expira no fim de 2017. Ele reiterou também que a ideia é pensar em uma política de longo prazo, "pelo menos por 10 anos", como tem pedido a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).
Além disso, o ministro disse que o governo continua empenhado em tirar do papel um programa de renovação de frota, que substituiria veículos antigos por novos e estimularia o mercado brasileiro. O programa seria focado em retirar de circulação modelos que, por serem antigos, são inseguros e muito poluentes.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia