Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 04 de novembro de 2016. Atualizado às 14h43.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Petróleo

Alterada em 04/11 às 15h43min

Opep eleva produção de petróleo apesar de promessa de corte, diz pesquisa

A produção de petróleo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) aumentou para 33,54 milhões de barris por dia no período entre 16 de setembro e 16 de outubro, na comparação com os 30 dias anteriores, segundo a agência global do setor S&P Platts. O relatório da empresa, publicado nesta sexta-feira, aponta que a produção da Opep subiu 300 mil barris por dia no último mês, com ganhos em todos os Estados-membros que devem ficar fora de qualquer acordo para cortar a oferta, como por exemplo o Iraque.
A Líbia e a Nigéria geraram 190 mil barris por dia a mais cada, o que significa que a produção delas avançou para 530 mil barris por dia e 1,68 milhão de barris, respectivamente. O avanço do Irã foi mais modesto, um ganho de 20 mil barris por dia, chegando a 3,67 milhões de barris por dia.
A produção do Iraque subiu 160 mil barris por dia, para 4,56 milhões de barris por dia, segundo a pesquisa. Bagdá tenta ficar fora do acordo para conter a produção, ou pelo menos cortar a sua a partir de dados primários, não de fontes secundárias do setor.
A Opep pretende fechar um acordo para cortar a produção para entre 32,5 milhões a 33 milhões de barris por dia em uma reunião de 30 de novembro em Viena. Os países-membros lutam para chegar a um consenso, o que provoca fortes quedas nos contratos nos últimos dias.
A Platts diz que obtém a estimativa com pesquisa na Opep e com funcionários do setor, operadores e analistas, bem como com a revisão de dados de embarque. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia