Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 01 de novembro de 2016. Atualizado às 11h28.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria

01/11/2016 - 12h29min. Alterada em 01/11 às 12h33min

Emprego industrial cai 0,9% em setembro ante agosto, revela CNI

Horas trabalhadas, massa salarial e rendimento real tiveram alta em setembro

Horas trabalhadas, massa salarial e rendimento real tiveram alta em setembro


MULTIMÓVEIS/DIVULGAÇÃO/JC
O emprego na indústria caiu pelo 20º mês consecutivo em setembro, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O emprego caiu 0,9% em setembro ante agosto, na série com ajuste sazonal, e recuou 6,5% na comparação com setembro do ano passado, conforme dados da pesquisa de Indicadores Industriais da entidade. No acumulado de 2016, o emprego registra queda de 8,4%.
Por outro lado, houve melhora quanto ao faturamento das indústrias em setembro ante agosto, embora em porcentual contido. Conforme os dados da CNI, o faturamento real da indústria em setembro ante agosto, na série com ajuste sazonal, teve leve alta de 0,1%. Na comparação com setembro de 2015, porém, o faturamento recuou 15,5%. No acumulado de janeiro a setembro de 2016, o faturamento industrial registra queda de 12,4%.
Já a utilização da capacidade instalada (UCI) ficou em 76,9% em setembro, ante 77,2% em agosto (dado revisado) e 77,8% em setembro de 2015, conforme os dados dessazonalizados.
As horas trabalhadas registraram avanço de 1% em setembro ante agosto, com ajuste, mas recuaram 6,0% na comparação com setembro do ano passado. No acumulado de 2016, houve queda de 8,5%. A massa salarial real teve alta de 0,9% em setembro ante agosto, com ajuste, mas recuou 4,7% ante setembro de 2015. No acumulado de janeiro a setembro deste ano, foi registrado recuo de 9,1%.
O rendimento médio real teve alta de 1,7% em setembro na comparação com agosto, com ajuste, e avançou 2,0% na comparação com setembro de 2015. No acumulado de 2016, o rendimento médio real cai 0,8%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia