Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 28 de outubro de 2016. Atualizado às 20h28.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Operação Lava Jato

28/10/2016 - 21h26min. Alterada em 28/10 às 21h28min

Justiça nega pedido da mulher de Cunha para repatriar recursos

Justiça negou o pedido da jornalista Cláudia Cruz para repatriar recursos que estão no exterior

Justiça negou o pedido da jornalista Cláudia Cruz para repatriar recursos que estão no exterior


EVARISTO SA/AFP/JC
Agência Brasil
A Justiça Federal no Distrito Federal negou hoje (28)  pedido da jornalista Cláudia Cruz, mulher do ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para repatriar recursos que estão no exterior. Na decisão, a juíza Diana Maria de Silva entendeu que a Lei da Repatriação proíbe que políticos e familiares possam aderir ao programa da Receita Federal.
Na decisão, a magistrada ressaltou que o programa de repatriação prevê a declaração de recursos que foram obtidos de forma lícita no exterior. Além disso, a juíza disse que "é de conhecimento notório" que Cláudia Cruz é ré em uma das ações penais da Operação Lava Jato.
"Portanto, há indícios veementes, e que precisam ser esclarecidos, de que os recursos, bens e direitos, os quais a demandante pretende a regularização como lícitos, podem ser oriundos da persecução de crimes perpetrados, e, por conseguinte, não sejam de titularidade da parte autora, se forem considerados ilícitos; sendo imprescindível o desfecho da querela penal", decidiu a juíza.
Em junho, Moro recebeu denúncia apresentada pela força-tarefa de procuradores da Operação Lava Jato contra Cláudia Cruz e outros investigados que viraram réus. A denúncia é vinculada à ação penal a que Cunha responde por não ter declarado contas na Suíça e por, supostamente, ter recebido propina em contrato da Petrobras para exploração de petróleo no Benin.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia