Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 04 de outubro de 2016. Atualizado às 13h43.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2016

Alterada em 04/10 às 13h46min

PMDB foi o partido vitorioso nas eleições municipais, diz Renan

O presidente do Senado, Renan Calheiros, disse hoje (4) que seu partido, o PMDB, cresceu em relação às eleições municipais de 2012. "Foi o partido que elegeu mais prefeitos. Teve 14,7 milhões de votos. Nesse quesito, perdeu apenas para o PSDB, que teve 17 milhões, mas a metade desses votos na cidade de São Paulo. O PMDB foi o vitorioso das eleições e continua sendo o maior partido em meio a essa complexa pulverização partidária".
Pelos dados do Tribunal Superior Eleitoral, o PMDB manteve-se como o partido com maior número de prefeituras. O PMDB fez 1.021 prefeitos em 2012 e, este ano, elegeu 1.028.
Já o PSDB saiu do primeiro turno da eleição municipal deste ano como o partido que mais cresceu na comparação com os resultados do pleito anterior, em 2012. Em número de prefeituras conquistadas na eleição de domingo (2), o partido ficou em segundo lugar, atrás do PMDB. O PSDB, que elegeu 695 prefeitos há quatro anos, conquistou agora, no primeiro turno, 793 prefeituras, com crescimento de 14%, e está na disputa do segundo turno em vários municípios.
Reforma política
Para Renan, as eleições mostraram o desejo da sociedade de uma reforma política urgente. A eleição municipal deste ano registrou o maior índice de abstenções da história: mais de 25 milhões de cidadãos aptos deixaram de votar em todo o país.
"Precisamos, mais do que nunca, reformar a política. Essas eleições demonstram, sobretudo, que a sociedade fez questão de indicar caminhos para essa reforma, que é urgente. Se a política não se reinventar, não mudar, ela vai perder prestígio a cada eleição. Chegou a hora de fazermos uma profunda reforma política", disse o presidente do Senado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia