Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 03 de outubro de 2016. Atualizado às 01h53.

Jornal do Comércio

Política

CORRIGIR

Eleições 2016

Notícia da edição impressa de 03/10/2016. Alterada em 03/10 às 01h57min

Oito capitais elegeram prefeitos já no 1º turno

Em oito das 26 capitais que realizaram eleições, neste domingo, não haverá segundo turno. Já estão eleitos os prefeitos de São Paulo, Salvador, Natal, João Pessoa, Teresina, Boa Vista, Palmas e Rio Branco (ver mapa). Em São Paulo, maior colégio eleitoral do Brasil, o candidato João Doria (PSDB), apoiado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), venceu a disputa no primeiro turno com 53% dos votos.
Em outro colégio eleitoral importante, ACM Neto (DEM) conquistou a reeleição com quase 74% dos votos. Tereza Surita (PMDB) foi a única mulher eleita em primeiro turno e também a que obteve a vitória mais folgada. Com 79% dos votos, conquistou a prefeitura de Boa Vista (RR).
Com 11 candidatos, a cidade do Rio de Janeiro teve uma votação bastante fragmentada e um resultado que colocará em confronto duas propostas antagônicas. O evangélico Marcelo Crivella (PRB), com 27% dos votos, disputará a eleição em segundo turno com o candidato de esquerda Marcelo Freixo (PSOL), que obteve 18% do total de sufrágios.
A exemplo de Porto Alegre, que colocou no segundo turno os candidatos Nelson Marchezan Júnior (PSDB), com 29% da preferência do eleitorado, e Sebastião Melo (PMDB), com 25% dos votos, outras 17 capitais terão seus prefeitos conhecidos somente no segundo turno da eleição, marcada para o dia 30 de outubro.
A disputa de segundo turno pela prefeitura de Belo Horizonte, terceiro maior colégio eleitoral, será realizada entre o deputado João Leite (PSDB) e o empresário Alexandre Kalil (PHS). Leite teve 33% dos votos válidos e Kalil, 26%. O resultado vinha sendo apontado nas pesquisas desde o início da campanha. O tucano é deputado estadual e foi goleiro do Atlético-MG nos anos 1970 e 1980. Ele tem o apoio do senador e ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves (PSDB), que articulou a candidatura. Kalil também tem relação com o Atlético, clube que presidiu entre 2008 e 2014. A campanha do candidato diz que ele "não é político".
Em uma disputa entre dois grupos tradicionais, o deputado estadual Gean Loureiro (PMDB) e a ex-prefeita Angela Amin (PP) irão para o segundo turno em Florianópolis. O peemedebista fez 40% dos votos válidos, contra 24% de Angela. Os dois fazem parte de grupos que há décadas se alternam na prefeitura da capital catarinense e no governo do estado.
Em uma reviravolta, um azarão vai para o segundo turno em Curitiba: o deputado estadual Ney Leprevost (PSD) - que tirou o atual prefeito Gustavo Fruet (PDT) do páreo - vai disputar a eleição contra Rafael Greca (PMN). Greca alcançou 38% dos votos válidos contra 23% de Leprevost. O atual prefeito, Fruet, ficou de fora, em terceiro lugar, com 20%.
pageitem_03_10_16_00_32_19_pg_19.jpg
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia