Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 03 de outubro de 2016. Atualizado às 01h58.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2016

Notícia da edição impressa de 03/10/2016. Alterada em 03/10 às 01h41min

'Não vamos levar desaforo para casa', afirma Sebastião Melo

Vice-prefeito comemorou a ida para o segundo turno com militantes

Vice-prefeito comemorou a ida para o segundo turno com militantes


JONATHAN HECKLER/JC
Marcus Meneghetti
Depois de passar ao segundo turno da eleição para a prefeitura de Porto Alegre na segunda colocação - com 25,93% dos votos válidos -, o vice-prefeito da Capital e candidato do PMDB, Sebastião Melo, chegou ao City Hotel para a coletiva de imprensa acompanhado do ex-prefeito José Fogaça (PMDB, 2005-2010) e do atual prefeito José Fortunati (PDT).
Melo teve que esperar a militância parar de aclamá-lo - "estou com Melo, de coração; estamos na rua para ganhar a eleição" - para começar o seu discurso, no salão do 10º andar do hotel, diante de dezenas de jornalistas, cinegrafistas e fotógrafos. "A nossa meta foi cumprida. Trabalhamos para chegar ao segundo turno e conseguimos", comemorou Melo.
O vice-prefeito também avaliou a campanha na primeira etapa do pleito. "No primeiro turno, foram oito candidatos contra um. No segundo, é no mano a mano. Vamos continuar fazendo uma campanha propositiva. Mas não vamos levar desaforo para casa", prometeu - sendo novamente aclamado pelos apoiadores.
"Não tem história, é Melo até a vitória", exclamavam os militantes. Novamente, o peemedebista teve que esperar a militância se acalmar para continuar. Ao prosseguir, aproveitou para alfinetar o adversário do segundo turno, o candidato Nelson Marchezan Júnior (PSDB), que passou para o próximo estágio do pleito com 29,84% dos votos válidos.
"É agora, no segundo turno, que vamos poder comparar as propostas para ver de onde vai sair o dinheiro para realizá-las, neste momento de crise pelo qual passa o Brasil. Falar é falar, mas o importante é fazer. Vamos cobrar como fazer", provocou. 
Melo representa a candidatura de continuidade da aliança entre pedetistas e peemedebistas, que governa há quase 12 anos a Capital. Em diversos momentos, ao longo do seu discurso, ele fez questão de ressaltar isso, agradecendo a Fogaça e Fortunati.
"Representamos a mudança segura. A população quer mudança, mas não quer aventura. A população mostrou que aprova o nosso governo. Tanto que todos os candidatos do governo tiveram boas votações", analisou o vice-prefeito, olhando para o ex e o atual prefeito.

Para José Fortunati, o governo saiu vitorioso

Depois da entrevista coletiva no City Hotel, o candidato do PMDB à prefeitura de Porto Alegre e vice-prefeito, Sebastião Melo, caminhou um quarteirão até o Chalé da Praça Quinze, onde participou de um ato organizado pela militância, para comemorar a ida ao segundo turno. Tanto Melo quanto o prefeito José Fortunati (PDT) avaliaram que o governo foi aprovado pela população  - uma vez que parte dos candidatos cujos partidos ocuparam cargos na prefeitura ficaram entre os primeiros colocados.
"O governo foi o grande vencedor neste pleito. Afinal, o partido do quarto colocado, Maurício Dziedricki (PTB), participa do nosso projeto desde a eleição do ex-prefeito José Fogaça (PMDB). O PP, partido do vice de Nelson Marchezan (PSDB), também continua no nosso governo. E o PSDB era governo até dezembro de 2015", avaliou Fortunati.
Melo, que deve se reunir hoje com a coordenação da sua campanha para estudar a política de alianças, adiantou que pretende falar com Dziedricki sobre um possível apoio no segundo turno. O petebista somou 13,68% dos votos válidos.
"Claro que vamos conversar com o PTB. Aliás, queria cumprimentar o Dziedricki pelo desempenho. O PTB é um grande parceiro no governo. Está conosco desde a primeira gestão do Fogaça. Muito do sucesso do nosso governo se deve ao PTB", afagou Melo. Os candidatos de oposição a atual gestão - principalmente Raul Pont (PT) e Luciana Genro (PSOL) - ficaram respectivamente com 16,37% dos votos válidos e 12,06%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia