Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 06 de outubro de 2016. Atualizado às 00h13.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Polônia

Notícia da edição impressa de 06/10/2016. Alterada em 06/10 às 00h02min

Comissão do Parlamento rejeita proibição ao aborto após protestos

A comissão do Parlamento da Polônia responsável por analisar o projeto de proibir o aborto no país recomendou ontem rejeitar a iniciativa. A decisão ocorre após protestos maciços dos últimos dias. A recomendação, entretanto, deve ser submetida hoje à votação no plenário da Câmara. 
A Polônia já tem uma das leis de aborto mais restritivas da Europa. De maioria católica, o país permite o aborto legal apenas em caso de estupro, incesto, problemas graves com o feto e sério risco à saúde da gestante.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia