Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 23 de outubro de 2016. Atualizado às 21h35.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Investigação

Notícia da edição impressa de 24/10/2016. Alterada em 23/10 às 22h32min

OAB/RS quer instalação de CPI sobre segurança pública no Estado

A Ordem dos Advogados do Brasil do Rio Grande do Sul (OAB/RS) solicitará à Assembleia Legislativa que crie uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o destino dos recursos de segurança pública e eventuais ações indevidas e/ou omissas no Estado. Após aumento de 34,8% no número de latrocínios (roubo seguido de morte) no primeiro semestre deste ano no Rio Grande do Sul, a pauta foi amplamente debatida pelas 106 subseções da OAB/RS, representando mais de 100 mil advogados.
Na opinião do presidente da OAB/RS, Ricardo Breier, o atual governo estadual está à frente da administração há dois anos e ainda não apresentou medidas eficazes para a segurança pública, nem sequer projeto de políticas de Estado. "Por isso vamos provocar uma CPI para investigar se existe omissão do governo e saber onde estão sendo investidos os recursos da pasta. Também precisamos saber se existem políticas preventivas e se o Rio Grande do Sul vem cumprindo o dever de gestionar nessa área. É necessário priorizar essa área em nosso Estado, pois os cidadãos estão pagando com as suas próprias vidas essa conta", aponta.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia