Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 16 de outubro de 2016. Atualizado às 18h46.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

campeonato brasileiro

Alterada em 16/10 às 18h56min

No Durival de Britto, Atlético-PR vence o clássico contra o Coritiba por 2 a 0

No clássico de uma torcida só, o Atlético Paranaense levou a melhor e venceu o Coritiba por 2 a 0, neste domingo, no estádio Durival de Britto, em Curitiba, pela 31.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o time rubro-negro chegou aos 48 pontos, na briga por uma vaga na Copa Libertadores de 2017, e o adversário permaneceu com 37, na 13.ª posição, ainda preocupado com o risco de rebaixamento.
A partida, marcada por polêmicas, foi disputada em campo neutro, mas a totalidade de torcedores era do Atlético, que tinha o mando de campo. A diretoria do Coritiba, como forma de protesto, se recusou a vender ingressos a R$ 200 para seus torcedores.
Desde o início, o Atlético pressionou bastante o Coritiba. Aos 18 minutos aconteceu a primeira polêmica, quando Otávio cruzou para a área, a bola bateu na mão do zagueiro Luccas Claro e o árbitro carioca Bruno Arleu Araújo interpretou como lance normal.
O meio de campo do Coritiba não repetia as boas atuações de jogos anteriores e sofreu o primeiro gol aos 20 minutos após falha de Wallison Maia. Pablo cruzou com a bola na linha, quase saindo para linha de fundo, Hernani escorou e Rossetto, sem marcação, chutou sem defesa para Wilson. Os jogadores do Coritiba reclamaram bastante, mas a arbitragem validou o gol.
O Coritiba levou perigo aos 23 minutos, quando Raphael Veiga driblou três adversários, mas o chute saiu fraco e Weverton defendeu. No intervalo, o técnico Paulo Cesar Carpegiani colocou Carlinhos pelo lado esquerdo e Kazim Richards no ataque para dar mais mobilidade ao time, mas a estratégia não funcionou.
Aos 16 minutos, Hernani encontrou facilidade e, sem marcação, acertou um forte chute no travessão. O Atlético continuava com maior posse de bola. Aos 23, Sidcley, que havia entrado minutos antes, lançou Pablo, que dominou e tocou para ampliar o placar.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia