Porto Alegre, sexta-feira, 16 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 16 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

ATIVIDADE FÍSICA

- Publicada em 15h09min, 03/10/2016. Atualizada em 16h03min, 15/10/2020.

Exercício sim, mas com orientação

Albuquerque defende atividade gradual e com acompanhamento

Albuquerque defende atividade gradual e com acompanhamento


INSTITUTO MÉDICO DO ESPORTE MÃE DE DEUS/DIVULGAÇÃO/JC
Assim como a automedicação é um risco para a saúde, praticar exercícios físicos sem orientação também pode ser prejudicial e não dar o retorno esperado. O ortopedista e traumatologista João Ellera Gomes, do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, diz que o ideal é que a pessoa busque orientação e escolha uma atividade que melhor se adapte ao seu tipo físico. O autodidatismo, como comprar um tênis e sair correndo, pode resultar em lesões. "Sendo de forma profissional ou lúdica é fundamental fazer uma avaliação antes de começar a prática de qualquer esporte", diz ele. Outro erro comum, segundo Gomes, é ficar uma semana sem se exercitar e voltar com a mesma intensidade, o que pode acarretar dores musculares. Por isso, os especialistas recomendam a prática pelo menos duas vezes por semana.
Assim como a automedicação é um risco para a saúde, praticar exercícios físicos sem orientação também pode ser prejudicial e não dar o retorno esperado. O ortopedista e traumatologista João Ellera Gomes, do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, diz que o ideal é que a pessoa busque orientação e escolha uma atividade que melhor se adapte ao seu tipo físico. O autodidatismo, como comprar um tênis e sair correndo, pode resultar em lesões. "Sendo de forma profissional ou lúdica é fundamental fazer uma avaliação antes de começar a prática de qualquer esporte", diz ele. Outro erro comum, segundo Gomes, é ficar uma semana sem se exercitar e voltar com a mesma intensidade, o que pode acarretar dores musculares. Por isso, os especialistas recomendam a prática pelo menos duas vezes por semana.
O diretor do Instituto de Medicina do Esporte (IME) do Hospital Mãe de Deus, Félix Drummond Albuquerque, comenta que todos que praticam atividade física têm risco de se machucar, mas aqueles que começam de forma gradual e com acompanhamento, a chance é menor. "O ideal é que as pessoas inseriram na sua rotina uma atividade física agradável e que façam antes uma avaliação cardiovascular e muscular", indica.
No instituto coordenado por Albuquerque foi desenvolvido o Summer Start, programa de vida saudável e emagrecimento, que consiste em uma série de avaliações, prescrições e processos de monitoramento de performance física, levando a resultados comprovados cientificamente em cem dias. O médico explica que o programa combina o conhecimento de profissionais com as últimas tendências em treinamento físico e alimentação saudável, utilizando a tecnologia do Laboratório do Esporte para trazer indicadores precisos.
"A combinação desses elementos gerou uma metodologia única, que potencializa ao máximo o desempenho do aluno. Com isso, o organismo atinge o pico de resultados respeitando necessidades e limitações de cada pessoa", diz Albuquerque. Um dos diferenciais é adequar o treinamento físico com a fisiologia e a capacidade metabólica de cada um. Todos os casos são avaliados por uma equipe multidisciplinar, que se reúne periodicamente para discutir os resultados de cada paciente. Lançado em 2015, o Summer Start foi apresentado no FIMS World Congress of Sports Medicine, este mês, em Ljubljana, na Eslovênia, pelo diretor.
A jornalista Laura Medina entrou para o programa há pouco mais de um mês. Ela conta que na primeira semana passou por uma bateria de exames e avaliações físicas. Foram solicitados em torno de 25 análises laboratoriais, além de três testes físicos. A partir dos exames, o professor de educação física, a nutricionista e o médico do esporte observaram os resultados e estabeleceram um plano de treino e alimentar. Mesmo sendo bem disciplinada para fazer atividades físicas e cuidar da alimentação, Laura sente a necessidade de uma orientação mais especializada para atingir seu objetivo: perder 2,5 quilos e não se machucar.
Ela já faz musculação e corrida, mas agora o treino foi diversificado. "A ideia é fazer todos os dias uma modalidade, variando a intensidade para evitar lesão, fadiga muscular e baixa no sistema imunológico. Estou apenas começando, mas já sinto mais energia e disposição no dia a dia", afirma. Além do objetivo físico, a jornalista quer reduzir os efeitos do período chamado climatério, que antecede a menopausa. "Estou chegando aos 50 anos e quero minimizar sintomas comuns dessa fase. Por isso, busco uma dieta com alimentos certos e os exercícios que também podem ajudar no controle do meu peso. A gente sabe que na menopausa é comum o aumento de peso porque o nosso metabolismo naturalmente fica mais lento", completa.

Desafios motivam os alunos

A segunda-feira é conhecida como o dia da semana para começar a dieta e a malhar. O problema é que muita gente vai adiando esse dia ou desiste no meio do caminho. Segundo o gerente administrativo e professor da academia Cia. Athletica, Paulo Ricardo Ayres, 70% das pessoas abandonam a atividade física antes dos três meses de seu início. Quem consegue vencer esse período de adaptação, geralmente segue uma rotina saudável de exercícios. Para motivar os alunos, muitas academias estão criando desafios. Quem perde mais peso, por exemplo, ganha desconto na mensalidade. Essa foi a maneira encontrada para fidelizar clientes e incentivar a qualidade de vida.
A Cia. Athletica criou o desafio "Agora vai". Os alunos interessados são divididos em times e têm um mês para perder peso e ganhar massa muscular. Quem topa o desafio, recebe dicas de alimentação, treinos e é estimulado a se manter em movimento. "O desafio é que cada participante perca três quilos por mês. Esse envolvimento cria uma cooperação no grupo, uns estimulam os outros", conta o professor. A ação, que começou em setembro, conta com cerca de 430 alunos separados em 29 times.
Comentários CORRIGIR TEXTO