Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 31 de outubro de 2016. Atualizado às 13h08.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Petróleo

31/10/2016 - 13h58min. Alterada em 31/10 às 14h11min

Acordo para conter produção deve ser finalizado até 30 de novembro, diz Opep

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) continua no caminho para finalizar no mês que vem um acordo para conter a produção, afirmou o secretário-geral da entidade, Mohammed Barkindo, em entrevista à Bloomberg TV nesta segunda-feira. Segundo Barkindo, o Iraque e países de fora da Opep devem contribuir para o esforço.
As declarações são dadas após uma série de reuniões no fim de semana, que não levaram a um plano final para implementar o acordo feito no mês passado na Argélia para reduzir a produção. Os ministros da Opep devem se reunir no fim de dezembro para decidir quanto cada membro deve cortar de sua produção.
Em entrevista, Barkindo disse que "nós ainda temos um mês antes de 30 de novembro, portanto estamos no caminho".
Autoridades do Iraque têm dito nos últimos dias que o governo de Bagdá quer ser excluído da iniciativa para reduzir a produção, com o argumento de que precisa de caixa para enfrentar o Estado Islâmico. Já Barkindo disse que recebeu "um firme compromisso" nos últimos trimestres na capital iraquiana de que há uma disposição entre as autoridades iraquianas para implementar o acordo.
O Iraque também contestou dados independentes, chamados de fontes secundárias, usados pela Opep para calcular os cortes na produção. Barkindo disse que o governo do Iraque "me garantiu em Bagdá que estamos fazendo progresso com as fontes secundárias".
A autoridade da Opep disse ainda que "continua confiante que nossos amigos de fora da Opep também contribuirão" para controlar a produção com o objetivo de elevar os preços da commodity. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia