Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 28 de outubro de 2016. Atualizado às 18h38.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 28/10 às 19h42min

Lucro líquido da Duratex cai 2,2% e atinge R$ 29,8 milhões no 3º trimestre

A Duratex registrou um lucro líquido de R$ 29,855 milhões no terceiro trimestre deste ano, uma queda de 2,2% sobre o desempenho do mesmo período do ano passado, que somou R$ 30,512 milhões. A empresa divulgou também um lucro líquido recorrente de R$ 9,404 milhões, o que representa uma retração de 75,7% em comparação ao resultado de R$ 38,771 milhões reportado no terceiro trimestre de 2015.
O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) totalizou R$ 185,9 milhões no período, significando uma queda de 18%. A margem Ebitda do terceiro trimestre foi de 19,2%, ante 21,8% do mesmo período do ano passado.
A receita líquida no terceiro trimestre foi de R$ 967 milhões, o que representa uma retração de 7,2% na comparação anual. A receita da companhia com o mercado interno atingiu R$ 795,3 milhões, uma queda de 9,3%, enquanto o mercado externo apresentou um faturamento de R$ 171,7 milhões, uma alta de 4%.
"Acreditamos que há uma perspectiva de melhora do mercado interno em curto ou médio prazo. Os outros países seguem com um nível de demanda estável e também demonstram sinais de aquecimento. A Duratex é uma empresa com solidez financeira e tem apresentado melhora em seus resultados", afirmou o presidente da Duratex, Antonio Joaquim de Oliveira.
O endividamento líquido da Duratex encerrou setembro deste ano R$ 2,127 bilhões, um aumento de 9,6% em relação ao terceiro trimestre de 2015 e de 2,6% na comparação com o segundo trimestre de 2016. A relação entre a dívida líquida e o Ebitda ficou em 3,28 vezes ao final de setembro, ante 2,11 vezes registrado um ano antes e de 3 vezes no segundo trimestre deste ano.
Em relação aos investimentos, a empresa informou que somaram R$ 122,3 milhões, elevando os aportes acumulados a R$ 377,3 milhões no ano. Segundo a empresa, esse valor inclui aproximadamente R$ 93 milhões referentes à compra de ações de acionistas minoritários na Colômbia e o consequente fechamento de capital da Tablemac.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia