Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 28 de outubro de 2016. Atualizado às 18h23.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 28/10 às 19h26min

Bovespa sobe 0,09% e termina semana com ganho de 0,31%

A Bovespa teve uma sessão de marcada pela instabilidade nesta sexta-feira (28), alternou sinais de alta e baixa, antes de fechar perto da estabilidade, com alta de 0,09%. Mesmo tímido, esse resultado levou o Ibovespa a um novo pico no ano. Com a agenda política e econômica escassa, o cenário internacional e os balanços das empresas ditaram o ritmo dos negócios. Em cinco pregões na semana, a Bovespa caiu em três deles. Mesmo assim, a semana teve ganho de 0,31%, levando o acumulado do mês para 10,18%.
A sexta-feira foi predominantemente de alta, pautada por balanços e pelo resultado do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos, que animou investidores e aumentou o apetite por risco. À tarde, no entanto, veio a notícia de que o FBI reabriu a investigação sobre os e-mails da candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, no período em que era Secretária de Estado. A medida pesou sobre as bolsas americanas, com preocupações de que o republicano Donald Trump pudesse ganhar espaço nas intenções de voto. A Bovespa, que já dava sinais de falta de fôlego, acompanhou Wall Street e abandonou o viés de alta, passando a cair. O movimento, no entanto, foi absorvido nos últimos minutos de negociação.
Resultados corporativos trimestrais também deram sustentação ao Ibovespa. Usiminas PNA disparou 11,30%, liderando as altas do índice, graças a uma redução drástica do seu prejuízo trimestral. A empresa reportou perda de R$ 107 milhões no terceiro trimestre, valor quase dez vezes menor que o registrado no mesmo período do ano passado (R$ 1,042 bilhão). Entre as "blue chips" do mercado, o dia foi de instabilidade, com influência direta sobre as oscilações do Ibovespa. Os papéis da Petrobras chegaram a operar descolados das quedas dos preços do petróleo, mas terminaram o dia divididos entre a estabilidade das ações preferenciais e a baixa de 0,62% das ordinárias.
Um dia depois de um balanço considerado positivo, as ações da Vale também estiveram voláteis, mas avançaram no final do pregão. A alta de 1,3% do minério de ferro no mercado chinês foi influência positiva e Vale ON subiu 0,64% e Vale PNA avançou 0,29%. Os papéis de bancos andaram em sentidos divergentes, tendo como destaque Banco do Brasil ON, que caiu 1,57% em um movimento atribuído à realização de lucros recentes.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia