Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 27 de outubro de 2016. Atualizado às 10h23.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

indústria

Alterada em 27/10 às 11h24min

Klabin reverte prejuízo e lucra R$ 31 milhões no 3º trimestre

A Klabin anunciou nesta quinta-feira (27) que teve um lucro líquido de R$ 31 milhões no terceiro trimestre de 2016, revertendo prejuízo de R$ 1,341 bilhão registrados no mesmo período do ano passado.
O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado totalizou R$ 585 milhões, crescimento de 13% em relação aos R$ 520 milhões dos mesmos meses do ano anterior. A margem Ebitda ajustada, entretanto, recuou seis pontos percentuais, de 36% para 31%.
A receita líquida da companhia cresceu 36% na comparação anual, para R$ 1,965 bilhão.
O lucro líquido da Klabin ficou 85% abaixo das expectativas dos cinco analistas ouvidos pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado. Eles apostavam em um lucro líquido de R$ 206 milhões.
Segundo o balanço divulgado pela fabricante de papel e celulose, no terceiro trimestre foram registradas despesas de vendas adicionais pela comercialização de celulose e que impactaram a linha de despesas operacionais do período. Entretanto, a empresa destaca que "mesmo com impactos negativos gerados pela taxa de câmbio menos favorável e pela pressão nos preços internacionais da celulose, os resultados apresentaram crescimento, impulsionados pelo aumento das vendas de celulose da Unidade Puma e também pela flexibilidade da Companhia de se adaptar rapidamente a mudanças no panorama econômico".
O Ebitda de R$ 585 milhões ficou em linha com as previsões, na média de R$ 610 milhões. O mesmo para a receita líquida, de R$ 1,965 bilhão - aumento de 36% em relação ao terceiro trimestre de 2015 - próxima das estimativas dos analistas, que esperavam, em média, um resultado de R$ 1,920 bilhão.
A fabricante de papel e celulose Klabin registrou um custo caixa total de R$ 1.773 por tonelada no terceiro trimestre de 2016, valor 12% inferior ao registrado nos mesmos meses do ano anterior. A variação pode ser explicada, principalmente, pelo aumento no volume de vendas de 70% no trimestre, totalizando 787 mil toneladas por conta das vendas da nova unidade de celulose.
O custo caixa unitário total contempla a venda de todos os produtos da companhia.
Já o custo caixa da produção de celulose foi de R$ 781 por tonelada no terceiro trimestre, redução de 12% em relação ao segundo trimestre deste ano. A Klabin explica que a Unidade Puma progrediu em seu ramp up ao longo do período, o que resultou em maior volume de produção e, consequentemente, na maior diluição de custo fixo de toda a operação.
O endividamento líquido consolidado em 30 de setembro de 2016 totalizou R$ 11,473 bilhões, pouco acima dos R$ 11,383 bilhões ao final do segundo trimestre.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia