Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 27 de outubro de 2016. Atualizado às 09h18.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

varejo

Alterada em 27/10 às 10h21min

Via Varejo aumenta prejuízo em 91,5% no 3º trimestre para R$ 90 milhões

A Via Varejo, empresa do Grupo Pão de Açúcar (GPA) dona das Casas Bahia e do Pontofrio, encerrou o terceiro trimestre com prejuízo de R$ 90 milhões, o que representa um aumento de 91,5% sobre o prejuízo do mesmo intervalo de 2015, de R$ 47 milhões. A companhia, que faz parte do Grupo Pão de Açúcar (GPA) e é dona das Casas Bahia e do Pontofrio, apresenta também o resultado especificamente para lojas físicas, ou seja, sem as operações de comércio eletrônico da Cnova, e nesse critério o prejuízo foi de R$ 20 milhões, contra lucro de R$ 61 milhões no terceiro trimestre do ano anterior.
O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Via Varejo ajustado no período foi de R$ 86 milhões, um recuo de 37,6% na mesma comparação, com margem Ebitda ajustada de 2,1%, contra 3,3% no terceiro trimestre de 2015. O Ebitda reportado foi de R$ 105 milhões, aumento de 138,6%, e o específico de lojas físicas ajustado ficou em R$ 138 milhões, queda de 17,2%, e com margem Ebitda ajustada de lojas físicas de 3,4%, ante 4% há um ano.
O resultado financeiro líquido da empresa ficou negativo em R$ 160 milhões, 131,9% maior que o de R$ 69 milhões também negativo do terceiro trimestre de 2015.
Por sua vez, os investimentos caíram à metade, para R$ 35 milhões, concentrados em reformas e conversões de lojas, que responderam por R$ 22 milhões do total no intervalo de julho a setembro.
A receita líquida da Via Varejo no terceiro trimestre atingiu R$ 4,1 bilhões, alta de 0,4% sobre o mesmo período de 2015, o que a administração considera ter confirmado tendência de crescimento das vendas "mesmas lojas" (abertas há mais de 12 meses). Esse aumento foi de 1,8%, informou a varejista, ou de 3,2% em bases comparáveis.
A Via Varejo ampliou seu prejuízo no terceiro trimestre de 2016, como era esperado por analistas em razão do resultado de equivalência patrimonial vindo das operações de comércio eletrônico da Cnova. Porém, o resultado de R$ 90 milhões ficou 70,45% pior que a média das projeções de sete instituições financeiras consultadas pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, (Bradesco, Brasil Plural, BTG Pactual, Goldman Sachs, Itaú BBA, Santander e UBS), que apontava para um prejuízo líquido de R$ 52,8 milhões entre julho e setembro.
A receita líquida da Via Varejo no terceiro trimestre atingiu R$ 4,1 bilhões, alta de 0,4% sobre o mesmo período de 2015, como já havia sido divulgado previamente.
O Broadcast considera que o resultado está em linha com as projeções quando a variação para cima ou para baixo é de até 5%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia