Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 24 de outubro de 2016. Atualizado às 16h35.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura internacional

Alterada em 24/10 às 17h38min

Evans, do Fed, diz ser necessário elevar meta de inflação nos EUA

O presidente do Federal Reserve (Fed, o BC dos EUA) de Chicago, Charles Evans, disse nesta segunda-feira que o banco central deve considerar ultrapassar sua meta de inflação e atrelar o ritmo de aumentos das taxas de juros com o progresso da inflação, de acordo com seu discurso preparado para uma apresentação.
Evans reiterou sua crença de que o Federal Reserve precisa demonstrar seu compromisso com a meta de inflação simétrica, onde, por vezes, a inflação fica acima da sua meta de 2% e às vezes fica abaixo dessa meta. Com a inflação consistentemente correndo abaixo da meta do Fed de 2%, o presidente do Fed de Chicago sugeriu que o banco central deve ultrapassar o seu alvo.
Em seu discurso, Evans também disse que o ritmo de aumentos da taxa deverá estar relacionado com os progressos da inflação, marcada por valores mais elevados do núcleo da inflação, expectativas de inflação do setor privado mais elevadas e uma taxa de desemprego mais baixa.
Ele ressaltou que acredita que a política monetária precisa "demonstrar compromisso de alcançar a meta de inflação de forma sustentável e de forma simétrica, mais cedo ou mais tarde".
Evans, que é considerado "dovish" por seu apoio a uma política monetária acomodatícia, não vota Nasa reuniões de política monetária deste ano.
Seu discurso sugere ainda que ele acredita que a economia dos EUA tem visto ganhos sólidos no mercado de trabalho e melhorias no consumo, mas que atingir a meta de inflação do Fed continua a ser uma luta persistente. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia