Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 25 de outubro de 2016. Atualizado às 11h53.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

consumo

Notícia da edição impressa de 24/10/2016. Alterada em 23/10 às 21h13min

Gasto do brasileiro com cigarro é quase igual ao do arroz com feijão

Produto leva uma fatia de 1,08% do orçamento mensal das famílias

Produto leva uma fatia de 1,08% do orçamento mensal das famílias


LUCIANE MEDEIROS/ESPECIAL/JC
As campanhas de conscientização sobre os males causados pelo cigarro diminuíram o consumo, mas o peso dos gastos com o produto ainda é alto no bolso das famílias brasileiras. O cigarro leva uma fatia de 1,08% do orçamento mensal das famílias, participação mais de três vezes superior à da batata, por exemplo.
Os dados são da metodologia de cálculo da inflação oficial no País, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), apurado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Claudio D'Amato 25/10/2016 12h49min
Não é para menos que os preços estejam tão altos. Sei muito bem que os preços se devem ao fato de as indústrias de fumo serem obrigadas a pagar tributos progressivos sobre o cigarros, porque faz parte da campanha antitabagista midiática. Além disso foi imposta a obrigação de preço mínimo para cigarros. Daí os preços serem altos. Não é à toa que haja tanto contrabando de cigarros no Brasil. Esta notícia, postada em sites de ONG antitabagista é demagógica.