Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 21 de outubro de 2016. Atualizado às 10h55.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria Alimentícia

21/10/2016 - 11h55min. Alterada em 21/10 às 11h55min

Lucro do McDonald's cai a US$ 1,28 bilhão no 3º trimestre, mas supera previsão

Segundo a empresa, o lucro foi impulsionado pelo crescimento sólido nas vendas de mesmas lojas

Segundo a empresa, o lucro foi impulsionado pelo crescimento sólido nas vendas de mesmas lojas


KAREN BLEIER/AFP/JC
O McDonald's registrou lucro líquido de US$ 1,28 bilhão, ou US$ 1,50 por ação, no terceiro trimestre de 2016. O resultado ficou abaixo do registrado no terceiro trimestre de 2015, quando a empresa obteve lucro de US$ 1,31 bilhão (ou US$ 1,49 por ação), no entanto, ficou acima do projetado por analistas, de US$ 1,48 por ação.
Segundo a empresa, o lucro foi impulsionado pelo crescimento sólido nas vendas de mesmas lojas, que foram ajudadas em março pela melhora no setor de café da manhã e pela introdução de novos nuggets de frango. Os investidores sinalizaram alívio em meio a especulações de que a melhora no segmento de café da manhã estava desaparecendo.
A receita do McDonald's caiu 2,9%, para US$ 6,42 bilhões, ante US$ 6,62 bilhões no terceiro trimestre de 2015. O resultado também veio acima do esperado pelos analistas, que estimavam US$ 6,28 bilhões de receita.
As vendas em restaurantes existentes aumentou 3,5% no período, batendo a estimativa de crescimento de 1,5%, de acordo com uma pesquisa com analistas consultados pela Consensus Metrix. Nos EUA, as vendas aumentaram 1,3% no terceiro trimestre, pouco acima do crescimento de 1,2%, previsto pelos analistas.
As vendas internacionais registraram aumento de 3,3%, acima do esperado pelos analistas, de alta de 1,8%, sendo puxadas por "um forte desempenho no Japão", de acordo com a empresa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia