Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 21 de outubro de 2016. Atualizado às 08h50.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Petróleo se recupera em meio a relatos sobre congelamento da produção russa

Petróleo se recupera em meio a relatos sobre congelamento da produção russa

Os preços do petróleo operam em alta nesta sexta-feira (21) em meio a relatos do comprometimento do ministro de energia da Rússia, Alexander Novak, em congelar a produção de petróleo, além de uma recuperação após a queda acentuada na sessão de ontem. O dólar forte, no entanto, limita os ganhos.

Às 8h44min (de Brasília), o Brent para dezembro subia 0,64% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 51,71 por barril, enquanto o WTI para o mesmo mês avançava 0,43%, a US$ 50,85 por barril.

Relatos de que Novak afirmou nesta sexta-feira de que um acordo para congelar a produção de petróleo era necessário para elevar os preços e que ele iria fazer propostas para o ministro de Energia da Arábia Saudita neste fim de semana tem ajudado o petróleo a se recuperar das perdas acentuadas causadas pelo sentimento de que o recente rali é insustentável, uma vez que o mercado ainda sofre com o excesso de oferta.

No dia 30 de novembro, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) irá realizar uma reunião para tentar chegar a este acordo, no entanto, uma nuvem de incertezas ainda paira sobre o mercado.

Além disso, o dólar segue forte nesta sessão em meio a maior possibilidade de o Federal Reserve (Fed, o BC dos EUA) elevar os juros na reunião de dezembro, o que tem limitado os ganhos do petróleo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia