Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 16 de outubro de 2016. Atualizado às 21h41.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Combustíveis

Notícia da edição impressa de 17/10/2016. Alterada em 16/10 às 21h44min

Queda da gasolina não elevará a Cide, diz Temer

Petrobras anunciou diminuição de 2,7% no diesel e de 3,2% na gasolina

Petrobras anunciou diminuição de 2,7% no diesel e de 3,2% na gasolina


JOÃO MATTOS/ARQUIVO/JC
O presidente Michel Temer garantiu que o governo não aproveitará a queda do preço da gasolina e do diesel para - em um movimento contrário - aumentar impostos sobre os combustíveis. Analistas do mercado financeiro levantaram a dúvida se o governo tentaria recompor as contas após o anúncio - feito na sexta-feira, pela Petrobras - da baixa. A hipótese foi afastada por Temer em entrevista durante à viagem oficial para a Índia.
Depois que a Petrobras determinou uma redução média no preço do diesel de 2,7% e de 3,2% no da gasolina, nas refinarias, especialistas apontaram que a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), um tributo que incide sobre os combustíveis, poderia ser elevada, especialmente para compensar perdas de caixa da estatal que viriam da diminuição de preços.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia