Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 04 de outubro de 2016. Atualizado às 22h33.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

contas públicas

Notícia da edição impressa de 05/10/2016. Alterada em 04/10 às 22h32min

Mudança no teto eleva gasto com saúde

Com cartazes, manifestantes protestaram contra limitação de gastos durante leitura do texto

Com cartazes, manifestantes protestaram contra limitação de gastos durante leitura do texto


MARCELO CAMARGO/ABR/JC
Ao mesmo tempo em que permite gastos maiores em áreas sensíveis como saúde e educação nos próximos anos, a nova versão da proposta que limita as despesas federais apertou as sanções em caso de descumprimento do teto de gastos. Entre elas, está a proibição de aumento acima da inflação para o salário mínimo.
O novo texto foi apresentado pelo relator da Proposta de Emenda Constitucional número 241 (PEC do Teto de Gastos), deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), com as mudanças acertadas previamente com o Ministério da Fazenda.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia