Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 03 de outubro de 2016. Atualizado às 01h58.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Relações Internacionais

Notícia da edição impressa de 03/10/2016. Alterada em 02/10 às 21h18min

Michel Temer visita maiores aliados no Mercosul

Temer contou com proximidade dos países durante o impeachment

Temer contou com proximidade dos países durante o impeachment


ANDRESSA ANHOLETE/AFP/JC
O presidente Michel Temer inicia hoje visita a Argentina e Paraguai, os países do Mercosul que deram o apoio mais contundente ao processo de impeachment que o levou ao poder. Temer chega a Argentina em meio à esperança do país de conseguir reerguer a própria economia se a do Brasil deixar de cair.
Na quarta-feira, Mauricio Macri atendeu jornalistas brasileiros na Quinta de Olivos, a residência oficial, onde também receberá Temer. Questionado sobre a razão de a Argentina não decolar, apesar de ele ser visto com otimismo pelo mercado e uma espécie de antídoto ao populismo, Macri citou a herança kirchnerista e o Brasil. "Não é fácil começar um governo depois de uma década de altíssima inflação, de forte déficit fiscal, perda de reserva, de perda de competitividade, de relações com o mundo, de falta de energia. Se o Brasil deixa de cair, também nos ajudará, porque é o principal comprador."
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia