Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 03 de outubro de 2016. Atualizado às 23h03.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Edgar Lisboa

Repórter Brasília

Notícia da edição impressa de 04/10/2016. Alterada em 03/10 às 20h48min

Antes do segundo turno

Os deputados federais e senadores que percorrem o País em busca de votos para prefeitos e vereadores, com o fim do primeiro turno das eleições municipais, retornam para retomar, nesta semana, os trabalhos no Congresso Nacional em busca de soluções para as pautas econômicas, que estão tramitando, antes que o segundo turno eleitoral interfira novamente no calendário. O governo comemora o resultado das eleições. Já o PT foi talvez o grande derrotado nas eleições municipais. Marcado pela corrupção e por uma gestão econômica desastrosa feita por Dilma Rousseff (PT), corre o risco de perder a hegemonia na esquerda. A exploração exaustiva de tentar mostrar aos brasileiros a aplicação de um golpe não será suficiente para o PT sair da crise. Os parlamentares, de volta após o "recesso branco" das eleições, terão intenso trabalho, nos próximos dias, tentando votar os assuntos que estão na pauta de votações.
Prioridades do Planalto
A prioridade do Palácio do Planalto, segundo o que já avisou à sua base o presidente Michel Temer (PMDB), é a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que estabelece o teto de gastos públicos, hoje. O relator da matéria na comissão especial da proposta de emenda constitucional que trata do teto de gastos públicos, deputado Darcísio Perondi (PMDB), vai concluir, nesta terça-feira, o relatório que deverá ser lido na comissão. Perondi acredita que a matéria será votada em plenário ainda em outubro. A importância do ajuste fiscal será mostrada à população com uma campanha que vem sendo preparada pelo governo, que pretende comparar as contas públicas com o orçamento de uma família que precisa enxugar os gastos, como já têm se manifestado os ministros da área econômica.
Petrobras no pré-sal
Uma pauta econômica que, certamente, exigirá muito trabalho dos coordenadores políticos do governo junto ao Congresso é o projeto que retira a obrigatoriedade da participação da Petrobras na exploração do pré-sal. É um teste de fogo de difícil solução. E a pauta da Câmara dos Deputados tem, ainda, outra matéria polêmica. É a que trata da repatriação de recursos não declarados no exterior. Pelo lado do Senado, a votação do reajuste do salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) é um assunto que preocupa o governo. Outro ponto ainda nada fácil é a reforma política com a criação da cláusula de barreira, para limitar a criação de partidos e a distribuição de tempo de propaganda em rádio e televisão.
LDO
A conclusão da votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) deverá ocorrer nesta terça-feira na reunião do Congresso Nacional. Também a análise de vetos e projetos de abertura de créditos suplementares para ministérios, entre eles, o que libera recursos para o Fies está na pauta das preocupações.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia