Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 08 de novembro de 2016. Atualizado às 13h47.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Patrícia Knebel

Mercado Digital

Notícia da edição impressa de 27/10/2016. Alterada em 08/11 às 14h49min

Autorregulação para as fintechs

 Paulo Deitos (esq.) da Urbe.me, com o sócio Lucas Obino, lidera criação da associação

Paulo Deitos (esq.) da Urbe.me, com o sócio Lucas Obino, lidera criação da associação


JONATHAN HECKLER/JC
E em um piscar de olhos, o Brasil acaba de chegar a 220 fintechs, as startups que prometem oferecer serviços financeiros de uma forma inovadora. E como não tem sido tranquila a disputa por mercado entre players tradicionais e as jovens companhias, que começam a ocupar espaços sem precisar seguir, necessariamente, a mesma legislação, um grupo de empresas resolveu se adiantar. Nesta semana, foi dado o start para a criação da Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs), iniciativa liderada pelos executivos Rodrigo Soeiro Ubaldo (Allgoo), Paulo Deitos (Urbe.me), Bernardo Pascowitch (Yubb), José Prado (Conexão Fintech), Mathias Fischer (Meu Câmbio) e Ricardo Motta (Cariocas). O estatuto foi aprovado e, nas próximas semanas, serão resolvidas algumas questões burocráticas, além de feita a escolha do corpo diretivo. "Entendemos que o caminho não é brigar com os bancos e, sim, criar um ambiente de parceira e concorrência saudável", observa Deitos. Além de estimular a geração de novos negócios, a ABFintechs vai criar uma autorregulação. "As fintechs precisam seguir um padrão mínimo de governança, até mesmo para conquistarem a credibilidade que esse mercado exige", diz o cofundador da entidade.
Beacon
O primeiro beacon totalmente projetado e fabricado no Brasil está saindo do forno. O Taggen Beacon foi criado pela Taggen, especializada em projetos e soluções de IoT e Rfid, e o instituto CPqD. A expectativa é que o dispositivo tenha um custo até 50% inferior que o similar importado. Os beacons são pequenos dispositivos que emitem sinais por meio da tecnologia Bluetooth Low Energy (BLE) e podem ser utilizados para a criação de aplicações de rastreabilidade, funcionando como uma espécie de GPS indoor/outdoor. A Taggen tem operação em Campinas (SP) e no Tecnosinos, em São Leopoldo (RS).
Entretenimento sob quatro rodas
Não é de hoje que as empresas de transporte rodoviário sofrem com a redução de passageiros. Então, nada mais propício do que tentar conquistar a fidelidade dos clientes com a internet. Pois a área de inovação da Ouro e Prata desenvolveu um aplicativo que dá acesso a serviços e entretenimento durante a viagem, como compra de passagens, consulta sobre horário de saída e chegada, dados do motorista e até hotéis e locais de alimentação no destino. Os usuários também podem assistir filmes.
Árvores fotovoltaicas
{'nm_midia_inter_thumb1':'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2016/10/26/206x137/1_arvores_fotovoltaicas_divulgacao_unisinos-1361294.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5811147ccbfa2', 'cd_midia':1361294, 'ds_midia_link': 'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2016/10/26/arvores_fotovoltaicas_divulgacao_unisinos-1361294.jpg', 'ds_midia': 'Árvores fotovoltaicas Divulgação Unisinos   DATA 26/10/2016', 'ds_midia_credi': 'DIVULGAÇÃO/JC', 'ds_midia_titlo': 'Árvores fotovoltaicas Divulgação Unisinos   DATA 26/10/2016', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '534', 'align': 'Left'}
Como parte da estratégia de divulgação do Campus Porto Alegre, cuja expansão será inaugurada em 2017, a Unisinos decidiu fazer um intervenção urbana inovadora. A universidade instalou árvores com energia solar na cidade, que fornecerão um serviço de luz cênica, além da possibilidade de recarga de mobiles e conexão à internet em um raio de 50 metros. Por enquanto, há duas árvores instaladas na Capital: uma no Bourbon Country e outra no Paseo Zona Sul. Até o fim do ano, serão mais três.
Computação positiva
Encerra-se amanhã o prazo de inscrições para mais uma edição do Prêmio de Artigo de Sucesu-RS, cujo tema é Computação Positiva. Os interessados em participar devem encaminhar seus textos (com até 3,5 mil caracteres) para o e-mail eventos@sucesurs.org.br.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia