Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de setembro de 2016. Atualizado às 23h22.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara de Porto Alegre

Notícia da edição impressa de 09/09/2016. Alterada em 08/09 às 20h35min

Vereadores debaterão sobre segurança 24h em bancos

Por falta de quórum, projeto não entrou na pauta da sessão legislativa

Por falta de quórum, projeto não entrou na pauta da sessão legislativa


Guilherme Almeida/CMPA
Juliana Mastrascusa, especial para o JC
Vereadores envolvidos em diferentes campos políticos da Câmara de Porto Alegre dialogam com os demais colegas para votar, na próxima semana, o projeto que estabelece segurança 24 horas em bancos de Porto Alegre.
A proposta foi apresentada pelo vereador Engenheiro Comassetto (PT) após conversas com o sindicato da categoria. Caso aprovada, as instituições bancárias públicas, privadas e as cooperativas de créditos da cidade deverão contratar vigilância armada para atuar 24 horas por dia.
De acordo com os trabalhadores, a pauta surgiu em função dos ataques a caixas eletrônicos em bancos nos últimos meses. A proposta explica que tais crimes vêm substituindo os assaltos a bancos.
Projetos similares estão sendo apresentadas em todo o Estado. Segundo informações do SindVigilantes, 45 cidades já aprovaram a pauta e, em 25 delas, a matéria já se tornou lei. Para Marlon Costa, diretor do sindicato, a implementação traria segurança para quem utiliza o caixa até as 22h para sacar dinheiro e para pessoas que transitam no local.
Ao contrário do que vinha acontecendo nas últimas sessões em que projetos polêmicos foram votados, a presidência da Casa não autorizou a entrada de representantes do sindicato no Plenário Ana Terra nesta quinta-feira. Na ordem do dia da Câmara, sete vetos da prefeitura trancam a apreciação das demais pautas. Por isso, foi convocada uma sessão extraordinária para aprovar títulos e homenagens. Por falta de quórum, a proposta de vigilância 24 horas não foi votada.
Além da bancada petista, Claudio Janta (SD) também se colocou favorável à matéria. Delegado Cleiton (PDT) sugeriu que a proposta fosse incluída como uma emenda ao projeto de sua autoria que cria o Estatuto Municipal de Segurança Bancária.
Os vigilantes se comprometeram a analisar a proposta, que já consta na ordem do dia da Câmara. Entretanto, segundo parlamentares, a matéria de Cleiton não terá acordo do Executivo para ser aprovada. O estatuto tramita desde 2013 no Legislativo.
Foi aprovado, nesta quinta-feira, o projeto de Sofia Cavedon (PT) que inclui no calendário de datas comemorativas e de conscientização de Porto Alegre o Dia Municipal de Luta pela Valorização e pela Garantia de Direitos das Trabalhadoras e dos Trabalhadores Domésticos. Conforme a proposta, a data será celebrada em 27 de abril.
A vereadora defende que o trabalho é desvalorizado, mesmo sendo considerado imprescindível em muitos locais. Sofia ainda lembra que é necessária a fiscalização dos direitos trabalhistas na área.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia