Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 07 de setembro de 2016. Atualizado às 00h24.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Crise política

06/09/2016 - 19h37min. Alterada em 07/09 às 00h28min

Protesto de Fora Temer percorre áreas centrais de Porto Alegre

Protesto de Fora Temer toma conta da esquina Democrática até a Salgado Filho

Protesto de Fora Temer toma conta da esquina Democrática até a Salgado Filho


Carolina Hickmann/Especial/JC
Carolina Hickmann
O protesto convocado para a véspera do Dia da Independência do Brasil atraiu milhares de participantes no Centro Histórico de Porto Alegre, percorrendo avenidas como a Borges de Medeiros e terminando no Largo Zumbi dos Palmares, no bairro Cidade Baixa.
Após a dispersão da passeata, após as 21h, um grupo promoveu vandalismo contra contêineres de lixo, com colocação de fogo em lixo espalhado. A Brigada Militar conduziu duas pessoas para depoimento.
A Esquina Democrática foi o ponto central da manifestação que entoou gritos de Fora Temer. É o quarto protesto desde que o presidente Michel Temer foi efetivado no cargo, que ocorreu na quarta-feira (31 de agosto).   
O ato nesta terça-feira (6) marca ainda o dia da chegada da ex-presidente Dilma Rousseff para residir definitivamente na Capital gaúcha. Ela desembarcou por volta das 18h30min na Base Aérea de Canoas. 
Em Brasília, ela fez nesta terça a retirada dos seus objetos do Palácio do Alvorada, sob chuva de pétalas de rosa e manifestação de carinho de uma multidão que cercou a ex-presidente na saída do palácio. Na base em Canoas, ela repetiu o gesto com pessoas que foram ao local prestar apoio.
Miguel Rossetto, ex-ministro, disse que a petista vai se dedicar a escrever, percorrer o País defendendo a democracia, cuidará de medidas junto ao STF contra o impeachment e também poderá se inserir em algumas campanhas municipais.  
No ato, os participantes gritavam para quem estava nos edifícios "vem para a rua vem que é contra o golpe". A caminhada, que começou no miolo do Centro histórico, percorreu as Avenidas Borges de Medeiros, Erico Veríssimo e seguiu em direção a Avenida Ipiranga. A CUT calcula que cerca de 15 mil pessoas participam da manifestação.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia