Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de setembro de 2016. Atualizado às 20h08.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

crise política

Alterada em 01/09 às 20h14min

Governo de SP diz que não permitirá protestos na Avenida Paulista no domingo

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) informou nesta quinta-feira, 1º, que não serão permitidos protestos na Avenida Paulista, no próximo domingo, 4. Para o dia, já está marcada uma manifestação contra o governo Temer. O evento no Facebook já tinha mais de 11 mil presenças confirmadas, e outras 16 mil pessoas apontaram "interesse", até por volta das 19h desta quinta.
De acordo com a SSP, o ato não será permitido porque "toda a extensão da avenida estará reservada para o evento de passagem da tocha paralímpica, que integra a cerimônia oficial dos Jogos Paralímpicos Rio 2016".
Os protestos contra o impeachment em São Paulo começaram na segunda-feira, 29, marcados por confrontos entre a Polícia Militar e os manifestantes. Na quarta-feira, 31, após a votação final no Senado que afastou definitivamente Dilma Rousseff da Presidência, a polícia jogou bombas e um grupo depredou lojas, agências bancárias e pontos de ônibus no centro. Uma estudante foi ferida com estilhaços e perdeu a visão do olho esquerdo.
Ainda na nota divulgada pela SSP, o governo de São Paulo afirma que a Constituição determina a obrigatoriedade de comunicação de hora, local e trajeto em que se realizarão os atos públicos.
A secretaria informou ainda que, até esta quinta, não havia recebido qualquer comunicado oficial de movimentos organizados "dando ciência da realização de manifestações públicas nos próximos dias".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia