Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 20 de setembro de 2016. Atualizado às 22h43.

Jornal do Comércio

Opinião

CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 21/09/2016. Alterada em 20/09 às 22h23min

Governo e redução de custos

Adelino Soares
A redução do custo do Estado é exigência da sociedade, afogada pela alta carga tributária atual. Os governantes reconhecem tal prioridade e prometem medidas imediatas, mas recuam perante a resistência de servidores e políticos que os apoiam visando a votos futuros. Anunciam reformas e o desfazimento de entidades inúteis ou deficitárias, mas não o fazem. Por que mantêm o IEL, na esquina das ruas André Puente e Pinheiro Machado, o palácio do vice-governador? Por que os parlamentares não esclarecem os eleitores da necessidade dessas providências para melhorar nossa economia e assegurar direitos no futuro?
Por outro lado, medidas simples e fáceis, que redundariam rapidamente em menores gastos, não são implantadas, e outras que já existem não são fiscalizadas, face às constantes mudanças nas funções de direção ou chefia, pois muitos dos que assumem não recorrem aos estudos e controles já existentes ou do conhecimento dos funcionários de carreira, mas querem começar algo novo, para constar que foi de sua iniciativa. Por que não volta a ser obrigatório constar, em todos os veículos, pelo menos na retaguarda, "Secretaria tal... Órgão tal... uso exclusivo em serviço? Contatos: telef. nº...", já que muitos têm sido vistos sendo usados em interesses particulares? Não se economizaria em combustível, peças e mão de obra, instalando GPS, discos ou outros meios de gravação dos itinerários utilizados? Uma central de compras e uma certa padronização nas aquisições não evitariam exageros em quantidades e na escolha de modelos mais luxuosos, além de resultar em menores custos nos reparos posteriores?
Advogado
 
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia