Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 03 de setembro de 2016. Atualizado às 13h38.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

reino unido

Alterada em 03/09 às 13h38min

Londres registra manifestações contra a saída do Reino Unido da União Europeia

Milhares de manifestantes se reuniram em Londres e outras cidades britânicas neste sábado em oposição ao plano do país de sair da União Europeia. Na "marcha para a Europa", os manifestantes exigem uma "pausa" no processo do Brexit e uma continuação de laços culturais e econômicos estreitos com a Europa.
Os opositores querem que mais consultas públicas sejam realizadas antes que o governo inicie o que se espera que sejam prolongadas negociações sobre os termos da saída prevista da Grã-Bretanha do bloco econômico e político de 28 nações.
Manifestações foram realizadas em Londres, Edimburgo, Birmingham e outras cidades, e foram apoiadas por algumas figuras políticas e do entretenimento. Em Londres, ativistas marcharam pelo centro cidade até o Parlamento, onde um debate está programado para ser realizado na segunda-feira sobre a possibilidade de realização de um segundo referendo sobre a adesão à UE. O governo, no entanto, já descartou uma segunda votação.
Em uma reunião de gabinete esta semana, as autoridades britânicas salientaram a importância de controlar o fluxo de migrantes europeus como uma parte vital das negociações do Brexit com líderes europeus.
A Grã-Bretanha votou para sair da UE em um referendo nacional em junho, mas o processo formal não está previsto para começar até o próximo ano. Fonte: Associated Press
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia