Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 02 de setembro de 2016. Atualizado às 08h53.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

02/09/2016 - 08h47min. Alterada em 02/09 às 08h59min

Furacão Hermine atinge a Flórida e causa enchentes e falta de luz

Já há registro de enchentes e regiões que tiveram o fornecimento de energia elétrica interrompido

Já há registro de enchentes e regiões que tiveram o fornecimento de energia elétrica interrompido


MARK WALLHEISER/AFP/JC
O furacão Hermine tocou terra na região conhecida como Big Bend, na Flórida, no início desta sexta-feira (2). Trata-se do primeiro furacão a atingir o Estado norte-americano em mais de uma década.
O furacão de categoria 1 atingiu uma área a leste de St. Marks por volta da 1h30min (hora local), com ventos de cerca de 129 quilômetros por hora, segundo o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos. Já há registro de enchentes e regiões que tiveram o fornecimento de energia elétrica interrompido. A capital estadual, Tallahassee, não era atingida por um furacão desde 1985, quando Kate atingiu a área. Segundo o centro, o furacão já foi rebaixado para tempestade tropical, após se enfraquecer depois de tocar terra.
A companhia Georgia Power informou que mais de 30 mil de seus clientes estavam sem luz no início desta sexta-feira. Boa parte do problema se concentrava no entorno das cidades de Valdosta e Brunswick. Na área de Valdosta, uma porta-voz do condado de Lowndes afirmou que as equipes lidavam com a queda de árvores e de linhas de energia.
Na área de Florida Panhandle, um casal teve ferimentos leves após o veículo deles bater em uma árvore que havia caído. Há registros de enchentes também nas cidades de Tampa e St. Petersburg.
Por volta das 5h (hora local), Hermine se enfraquecia conforme seguia para o sul da Geórgia, segundo o centro que monitora o fenômeno. O furacão estava 32 quilômetros a oeste de Valdosta, na Geórgia, e se movia na direção nor-nordeste a 22,5 quilômetros por hora. Após passar pela Geórgia, a expectativa é que Hermine siga para a Carolina do Sul e a do Norte, com potencial para enchentes e risco de vida.
O último furacão a atingir a Flórida havia sido Wilma, que atingiu o Estado em 24 de outubro de 2005.
Agora, pessoas de algumas ilhas e outras áreas baixas na rota de Hermine receberam ordem para deixar suas casas. A área conhecida como Big Bend, por onde ele passa, é em sua maioria rural e pouco povoada. O governador da Flórida, Rick Scott, advertiu para o risco de fortes tempestades e vendavais, de queda de árvores e falta de energia e pediu que as pessoas ficassem em locais seguros e garantissem que tivessem alimento, água e remédios suficientes. Scott já declarou estado de emergência em 51 condados.
Os governadores da Geórgia e da Carolina do Norte também declararam emergência estadual, o que pode acelerar a liberação de verbas para socorrer as vítimas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia