Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 27 de setembro de 2016. Atualizado às 08h23.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Infraestrutura

Notícia da edição impressa de 27/09/2016. Alterada em 27/09 às 08h26min

União libera R$ 84 milhões para obras da ponte do Guaíba

Obras da segunda ponte estão em ritmo lento desde abril

Obras da segunda ponte estão em ritmo lento desde abril


JONATHAN HECKLER/JC
O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão autorizou, ontem, a liberação de recursos para a obra da segunda ponte do Guaíba, que amplia a ligação entre a Capital e a região Sul do Estado. Os R$ 84 milhões se referem também a acessos nas BRs 116 e 290.
Para que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) possa repassar o valor às construtoras, a verba precisa constar no sistema de empenhos do Ministério do Planejamento. De acordo com o Diário Oficial da União, o montante foi liberado a partir do cancelamento de recursos que seriam destinados a outras obras, como a construção das ferrovias de integração Oeste-Leste, na Bahia, e Norte-Sul, no Tocantins, estimada em R$ 24 milhões; a adequação de trecho rodoviário na Paraíba, calculada em R$ 10 milhões; e a dragagem de manutenção e serviços de sinalização e balizamento em portos, no Paraná, de R$ 50 milhões.
Em abril, cerca de 500 funcionários que atuavam na construção da ponte foram demitidos. Os poucos que foram mantidos seguiram em funções de segurança e de manutenção do trabalho executado até o momento. De lá para cá, sem recursos, a construção caminhou a passos lentos.
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada no Rio Grande do Sul (Siticepot), Isabelino Garcia dos Santos, encara com ceticismo o repasse. "Tinham anunciado algo parecido há dois meses, e até agora não caiu um centavo. Só posso falar sobre isso quando o dinheiro chegar", afirma. No entanto, ele crê que a verba seja suficiente para garantir a retomada da obra. A previsão era de concluir a ponte, que passará pelas ilhas do Pavão e Grande dos Marinheiros, em outubro de 2017. O investimento total será de R$ 646,6 milhões, e a estrutura terá 7,3 quilômetros de extensão e 28 metros de largura.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia