Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de setembro de 2016. Atualizado às 14h04.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

greve

12/09/2016 - 12h00min. Alterada em 13/09 às 14h07min

Bancários entram no sétimo dia da greve após recusar oferta de bancos

Categoria mantém a mobilização em todo o País após recusar oferta de reajuste de bancos

Categoria mantém a mobilização em todo o País após recusar oferta de reajuste de bancos


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Depois de rejeitar a proposta apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na sexta-feira (9), os bancários seguem em greve nesta segunda-feira (12), completando sete dias consecutivos em todo o Brasil.
Em Porto Alegre, a categoria planeja uma caminhada a partir das 13h até o Palácio Piratini. Às 15h tem assembleia. No meio-dia, os bancários participam do ato que marca os 88 anos do Banrisul e a defesa do serviço público, na Praça da Alfândega, em frente à agência central do banco estadual.
Até sexta-feira (9), cerca de 260 agências estavam fechadas na Capital e Região Metropolitana, segundo o Sindbancários. No Estado, o número era de 600, e no País, de 7.359.
Os clientes e outros usuários conseguem acessar a sala de auto-atendimento, mas nem tudo pode ser feito pelos caixas eletrônicos. Depósitos com envelope não estão sendo possíveis em muitos locais, pois a confirmação da operação precisa ser feita por funcionários. A busca por casas lotéricas para resolver o que se fazia em bancos também cresce, gerando filas.
A Fenaban propôs reajuste de 7%, Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e abono salarial de R$ 3,3 mil. Os bancários querem o reajuste da inflação (9,62%) e aumento real de 5%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Eliane 13/09/2016 00h05min
Queria acordar deste "pesadelo"quando retornarem ao trabalho me acorde por favor.....