Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 17 de setembro de 2016. Atualizado às 15h27.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

tênis

17/09/2016 - 13h56min. Alterada em 17/09 às 15h29min

Soares e Melo são surpreendidos nas duplas e Brasil cai para a Bélgica na Davis

O sonho do Brasil de voltar à elite da Copa Davis em 2017 caiu por terra neste sábado. E justamente na partida de duplas, na qual o País tinha o amplo favoritismo diante da Bélgica. Dois dos melhores duplistas do mundo, Marcelo Melo e Bruno Soares foram surpreendidos por Ruben Bemelmans e Joris De Loore por 3 sets a 2, com parciais de 3/6, 7/6 (7/5), 4/6, 6/4 e 6/4.
Empurrados pela pressão exercida pela torcida da casa, na cidade de Ostend, os belgas deixaram para trás a imensa diferença no ranking para vencer. Enquanto Melo é o terceiro melhor duplista do mundo e Soares o quinto, Bemelmans ocupa a 207.ª colocação no ranking e De Loore a 462.ª.
A derrota nas duplas fechou o confronto a favor da Bélgica em 3 a 0 e recolocou o país europeu no Grupo Mundial em 2017. O Brasil, por sua vez, terá que disputar o Zonal Americano mais uma vez no ano que vem. Antes de Soares e Melo, Thiago Monteiro havia sido derrotado por David Goffin e Bellucci caiu diante de Steve Darcis.
Neste sábado, dava a impressão de que os brasileiros fariam valer sua superioridade. No primeiro set, conseguiram uma quebra logo no primeiro game de saque dos adversários e depois administraram a vantagem para um triunfo tranquilo.
Só que já na segunda parcial, Bemelmans e De Loore mostraram que estavam dispostos a surpreender. Endureceram o jogo e passaram a ameaçar os serviços brasileiros. Melo e Soares resistiram até o tie-break, mas aí os belgas aproveitaram o bom momento e a pressão da torcida para fechar.
O equilíbrio foi novamente a tônica do terceiro set. As duplas mantiveram um bom aproveitamento no serviço e seguiram sem quebras até o décimo game, no qual falou mais alto a experiência de Soares e Melo, que aproveitaram um break point decisivo para voltar à frente.
Quando parecia que os brasileiros deslanchariam, foram os belgas que acordaram. No quarto set, se recuperaram rápido para buscar uma quebra no primeiro game e garantir o empate. Na quinta e decisiva parcial, voltaram a ser agressivos, aproveitaram o break point no terceiro game e mantiveram o serviço para confirmar a vitória.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia