Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 07 de setembro de 2016. Atualizado às 00h09.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

eliminatórias da copa

07/09/2016 - 00h11min. Alterada em 07/09 às 00h14min

Sem Messi, Argentina leva susto e arranca empate com a Venezuela por 2 a 2

Sem o craque Lionel Messi, poupado por sentir dores no púbis, a Argentina sofreu contra a lanterna Venezuela. Nesta terça-feira, a seleção comandada pelo técnico Edgardo Bauza foi surpreendida em campo, levou 2 a 0 e teve que correr atrás para arrancar um empate por 2 a 2, no estádio Metropolitano, na cidade venezuelana de Mérida, pela oitava rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, que será na Rússia.
Apesar do ponto obtido fora de casa, a Argentina perdeu a liderança conquistada na rodada passada após a vitória sobre o Uruguai. Os argentinos, agora com 15 pontos, foram ultrapassados justamente pelos uruguaios, que golearam o Paraguai por 4 a 0, em Montevidéu, e subiram para 16. A Venezuela, que antes só havia empatado com o Peru e perdido as outras seis partidas, conquistou seu segundo ponto, ainda na 10.ª e última colocação.
Na próxima rodada, a última do primeiro turno das Eliminatórias, as duas seleções jogarão como visitantes: a Argentina enfrentará o Peru, em Lima, enquanto que a Venezuela encarará o Uruguai, no estádio Centenário, em Montevidéu. Ambos os jogos estão marcados inicialmente pela Conmebol para o dia 6 de outubro.
O JOGO - Mesmo sem Messi, Edgardo Bauza não mudou o esquema tático da vitória sobre o Uruguai e resolveu escalar Banega no lugar do craque do Barcelona. Foram duas boas chances de gol para a Argentina, ambas com o próprio Banega, mas desperdiçadas no toque final para a meta defendida pelo goleiro Daniel Hernández.
A Venezuela, na base da vontade e da empolgação por jogar com a torcida a favor e contra uma grande seleção, tentou criar alguma coisa e conseguiu abrir o placar em um lance individual de Juanpi, aos 36 minutos. Esperto, o atacante driblou dois rivais e chutou colocado, da entrada da área, no ângulo direito alto do goleiro Sergio Romero, que ficou com cara de espanto ao ver onde a bola entrou.
No segundo tempo, já debaixo de muita chuva em Mérida, a Argentina não mudou a forma de jogar e foi surpreendida logo aos 8 minutos em um rápido contra-ataque venezuelano. O atacante Rondón ganhou a disputa pela lateral esquerda, invadiu a área e rolou para Martínez, que teve calma para ameaçar o chute, enganar Sergio Romero e tocar para o gol vazio.
A resposta argentina teria que ser rápida e ela veio aos 13 minutos. O centroavante Lucas Pratto, do Atlético Mineiro, bem ao seu estilo trombador, tentou um chute dentro da área e foi bloqueado. Ele insistou na jogada e, de bico, mandou para as redes, diminuindo o prejuízo da Argentina.
Na base da pressão, a seleção vice-campeã mundial conseguiu o empate depois de perder três chances com Banega, Di María e Vizcarrondo (contra). Aos 38 minutos, Di Maria cobrou escanteio, a bola cruzou toda a área e sobrou nos pés de Otamendi, outro com passagem pelo Atlético, que empatou a partida.
No final, a Venezuela quase surpreendeu novamente e conseguiu a vitória, mas o chute de Mikel Villanueva, aos 43 minutos, foi na trave do gol de Sergio Romero.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia