Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 30 de setembro de 2016. Atualizado às 20h18.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Trabalho

30/09/2016 - 20h02min. Alterada em 30/09 às 20h19min

Ministro do Trabalho autoriza emissão manual de carteiras de trabalho

Nogueira determinou a emissão de 1,5 milhão de carteiras no País para situações emergenciais

Nogueira determinou a emissão de 1,5 milhão de carteiras no País para situações emergenciais


Fredy Vieira/JC
O Ministério do Trabalho resolveu agir diante de problemas do sistema de informática que provocam dificuldades e até suspensão da emissão da carteira de trabalho, caso do Rio Grande do Sul. O ministro gaúcho, Ronaldo Nogueira, emitiu nota nesta sexta-feira (30) determinando a emissão de 1,5 milhão de carteiras no País. 
No Rio Grande do Sul, desde 16 de setembro nenhum documento é feito nas agências do Sine. Mas desde maio ocorre lentidão e redução na emissão. Mesmo quem consegue fazer, enfrenta dificuldades para retirar a carteira. Reportagem recente do Jornal do Comércio mostrou que a situação impede a contratação de desempegados que têm vagas para trabalhar e derruba o número de documentos.   
A medida anunciada pela pasta atenderia a uma demanda "emergencial", segundo Nogueira, "tendo em vista as falhas no sistema digital". “A partir do dia 5 de outubro, nenhum trabalhador ficará sem atendimento”, garantiu. O ministro mandou suspender o agendamento eletrônico. "Até que o sistema seja normalizado e possa prestar um serviço de excelência a todo o trabalhador brasileiro." Os problemas se intensificaram em maio, quando houve atualização no sistema que está em operação desde 2008.  
Nogueira deu ainda prazo de 30 dias para que a Secretaria de Políticas Públicas de Emprego (SPPE), responsável pelo sistema Sine, apresente uma solução definitiva para a emissão digital das carteiras. Os trabalhadores devem procurar as agências do Sine para encaminhar o documento, em vez de fazer o agendamento eletrônico. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia