Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 29 de setembro de 2016. Atualizado às 00h43.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Turismo

Notícia da edição impressa de 29/09/2016. Alterada em 28/09 às 23h05min

Argentina reduz valor de hospedagem a estrangeiro

Casa Rosada estima que implementação do sistema dure dois meses

Casa Rosada estima que implementação do sistema dure dois meses


CASA ROSADA PRESIDÊNCIA DA ARGENTINA/DIVULGAÇÃO/JC
A hospedagem de estrangeiros na Argentina ficará 21% mais barata. Para conseguir ter direito à devolução do Imposto sobre Valor Agregado (IVA, o correspondente ao ICMS brasileiro), regulação assinada nesta quarta-feira pelo presidente Mauricio Macri, será preciso pagar com cartões de débito ou crédito emitidos fora do país vizinho. O governo argentino estima que a implementação do sistema dure dois meses.
Segundo a Casa Rosada, estão incluídas no benefício as compras feitas por meio de agências de viagens. Uma das metas é desestimular o alojamento ilegal. A emissora do cartão fica encarregada de concretizar a devolução.
A regulamentação para a devolução do imposto existia no país vizinho desde 2001 para bens, mas não havia sido feita para hotelaria, embora estivesse prevista na mesma lei. Chile, Uruguai, Peru, Equador e Colômbia são países da América do Sul que já adotam sistemas parecidos.
A recente valorização do real aumentou o poder aquisitivo dos brasileiros na Argentina. O governo argentino pretende atrair 120 mil turistas a mais no primeiro ano de implantação da nova disposição.
No primeiro semestre, o número de turistas estrangeiros que visitaram a Argentina registrou queda de 4% em relação ao mesmo período do ano passado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia