Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 22 de setembro de 2016. Atualizado às 16h33.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

empresas

22/09/2016 - 16h06min. Alterada em 22/09 às 16h37min

Petrolífera Total vai reduzir investimentos e cortar gastos para elevar lucratividade

A petrolífera francesa Total afirmou nesta terça-feira que irá reduzir investimentos e cortar gastos de operação para manter a lucratividade em meio ao recuo dos preços de petróleo.
Em reunião com investidores, Patrick Pouyanné, o executivo-chefe da companhia, afirmou que vai seguir a estratégia de manter a companhia no azul desde o início do tombo dos preços de petróleo, na segunda metade de 2014.
"No curto prazo, vamos continuar com um investimento disciplinado, cortes de custos e foco na produtividade", afirmou. "Focamos no fluxo de caixa."
Em sua apresentação, Pouyanné disse que a companhia irá reduzir seus investimentos para algo até US$ 17 bilhões este ano, de uma expectativa inicial de US$ 4 18 bilhões a US$ 19 bilhões. Já os cortes de custos devem economizar o equivalente a US$ 2,4 bilhões este ano e chegar até US$ 4 bilhões em 2018.
O anúncio desta quinta-feira era amplamente esperado por analistas. A notícia por outro lado, pode melhorar a atratividade das ações da empresa, que têm se comportado em linha com as demais do setor, afirmou a corretora Macquarie em nota.
A companhia pretende gerar caixa o suficiente para pagar suas despesas e os dividendos com o preço do Brent entre US$ 40 e UD$ 45 em 2020 no próximo ano.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia