Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 22 de setembro de 2016. Atualizado às 13h58.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Comércio Exterior

Alterada em 22/09 às 14h02min

Exportações do Rio Grande do Sul voltam a crescer em agosto de 2016

Crescimento das exportações e redução das importações contribuíram para diminuir o rombo nas contas

Crescimento das exportações e redução das importações contribuíram para diminuir o rombo nas contas


ANTONIO PAZ/JC
As exportações do Rio Grande do Sul chegaram a US$ 1,749 bilhão em agosto de 2016, alta de 9,6% (ou US$ 153,6 milhões) ante o mesmo período de 2015. A Fundação de Economia e Estatística (FEE), que divulgou os dados nesta quinta-feira (22), informou ainda que o volume aumentou 10,5%, enquanto os preços médios dos itens exportados recuaram 0,8% em relação ao ano passado.
O Estado ficou em terceiro no ranking dos estados exportadores, com 10,3% dos embarques brasileiros. O desempenho gaúcho foi similar ao nacional, que subiram 9,7% em valor, 11,1% em volume e caíram 1,2% em preços. No acumulado de janeiro a agosto, as exportações gaúchas somam US$ 11,2 bilhões, queda de US$ 288,4 milhões em valor (-2,5%), sob efeito ainda da da retração de 8,7% nos preços, mesmo com alta de 6,8% no volume. 
O pesquisador do Núcleo de Dados e Estudos Conjunturais da FEE Tomás Torezani destacou que o fluxo voltou a crescer em valor e volume, semelhante aos meses de maio e junho. Em julho, havia sido registro queda nesses parâmetros. “A desaceleração da redução dos preços dos produtos exportados resultante da ainda incipiente recuperação dos preços de commodities e os maiores volumes embarcados explicam a elevação das receitas”, afirma Torezani.
Produtos básicos puxaram a alta, com 59,6% de participação. Soja em grão (US$ 83 milhões), fumo em folhas (US$ 65 milhões) e farelo de soja (US$ 39,2 milhões) lideraram no setor. 
Desde janeiro de 2013, os preços médios dos produtos exportados gaúchos, na sua comparação com o mesmo mês do ano anterior, tiveram, elevação em apenas seis deles, sendo o último crescimento em agosto de 2014. “Já os preços dos produtos básicos cresceram pelo terceiro mês consecutivo, único grupo a exibir resultado positivo. Isso indica que as maiores receitas do Estado vieram na esteira da recuperação dos preços dos produtos básicos aliadas ao contínuo incremento dos volumes embarcados.”
China (31,1%), Argentina (7,2%), Estados Unidos (6,8%), Irã (5,9%) e Bélgica (4,4%) foram os principais destinos dos produtos gaúchos em agosto. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia