Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 20 de setembro de 2016. Atualizado às 14h58.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 20/09 às 14h59min

Bolsas da Europa fecham sem direção única com expectativa por Fed e Banco do Japão

As principais bolsas da Europa fecharam sem direção única nesta terça-feira (20), com a maioria dos investidores no aguardo das decisões de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) e do Banco do Japão. Alguns índices ainda foram beneficiados pelo noticiário corporativo, que intensificou os negócios. Em meio a um cenário de cautela, o índice pan-europeu Stoxx 600 recuou 0,08%, aos 341,00 pontos.
Londres foi uma das praças que operou ligeiramente alheia ao sentimento de expectativa pelos juros norte-americanos e japoneses, fechando em alta de 0,25%, com o FTSE 100 subindo aos 6.830,79 pontos. Entre as ações que tiveram atuação significativa está a da grife Burberry, que subiu 3,61% em meio à Semana de Moda de Londres. A varejista Kingfisher, por outro lado, apagou os ganhos de mais cedo e fechou em queda de 2,10%. Algumas companhias tiveram ganhos limitados pela volatilidade dos preços do petróleo, como a BP, que caiu 0,55%.
O DAX, em Frankfurt, também fechou em alta, de 0,19%, e chegou aos 10.393,86 pontos. O dia teve pouco volume de negócios, com a adoção de postura cautelosa da parte dos investidores. Destaque para as ações da Adidas, que subiram 1,41%, e da Merck, que avançaram 1,23%.
Além disso, é importante destacar a alta de 0,55% das ações da Bayer, que nesta terça projetou maiores receitas e ganhos após anunciar a compra da Monsanto por US$ 66 bilhões. Na quarta-feira, além das decisões de política monetária, os investidores devem ficar de olho no relatório da OCDE sobre a perspectiva econômica.
Em Paris, o CAC-40 recuou 0,13%, aos 4.388,60 pontos. As ações ligadas a commodities, como as das siderúrgicas ArcelorMittal e Vallourec, ficaram entre os destaques negativos, caindo 2,85%, e 3,26%, respectivamente. A Air France-KLM também teve um dia ruim e fechou em baixa de 2,80%.
O FTSE Mib, de Milão, encerrou o dia na mínima de 16.207,10 pontos, queda de 1,17%. O setor bancário acumulou perdas significativas, com o Popolare di Milano caindo 5,89% e o Intesa Sanpaolo recuando 2,71%.
O Monte dei Paschi di Siena também ficou no campo negativo e perdeu 6,40% após a imprensa italiana dizer que o banco não vai revelar seu plano estratégico no fim do mês, como inicialmente reportado. As ações despencaram e tiveram as negociações suspensas após caírem mais de 6%.
Em Madri, o Ibex 35 recuou 0,34% e chegou aos 8.686,10 pontos. Já em Lisboa, o PSI 20 perdeu 0,28% e chegou aos 4.538,58 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia