Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 16 de setembro de 2016. Atualizado às 21h07.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 16/09 às 21h12min

Dólar avança ante rivais com aumento das expectativas de elevação de juros

O dólar avançou diante de seus rivais nesta sexta-feira, 16, após a divulgação de um dado econômico que veio melhor que o esperado, nos Estados Unidos, convencendo alguns analista de que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) deve aumentar a taxa de juros nos próximos meses.
Os preços aos consumidores dos EUA avançaram mais que o esperado por analistas em agosto, em um sinal de que a inflação pode continuar ganhando força após anos de um crescimento fraco nos preços. A perspectiva para a inflação é uma consideração importante para os dirigentes do Fed, que vão se reunir na próxima semana para discutir a política monetária.
Enquanto alguns acreditam que o Fed possa aumentar os juros na reunião de setembro, "o dado solidificou a visão de que as taxas de empréstimo provavelmente aumentaram antes do fim do ano, provavelmente em dezembro", disse Omer Esiner, analistas da Commonwealth Forex. "Essa visão, quando contrastada com a perspectiva de juros constantes ou mais baixos na maioria das grandes economias do mundo, continua a dar apoio ao dólar", completou.
Expectativas de maiores taxas de juros tendem a fortalecer a divisa americana, que se torna mais atrativa para investidores em busca de rendimentos.
No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar subiu para 102,37 ienes, de 102,19 ienes, na tarde de ontem, enquanto o euro caía para US$ 1,1155, de US$ 1,1244, e a libra caiu para US$ 1,3019, de US$ 1,3242.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia