Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de setembro de 2016. Atualizado às 12h03.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado financeiro

12/09/2016 - 11h38min. Alterada em 12/09 às 12h04min

Bovespa abre em queda, mas desacelera perdas após abertura de Nova Iorque

A Bovespa desacelerou perdas, em sintonia com Wall Street e as demais bolsas internacionais

A Bovespa desacelerou perdas, em sintonia com Wall Street e as demais bolsas internacionais


MIGUEL SCHINCARIOL/AFP/JC
A Bovespa abriu em queda nesta segunda-feira (12), mas desacelerou as perdas, em sintonia com o início dos negócios em Wall Street, em Nova Iorque, e as demais bolsas internacionais. Às 10h40, o Ibovespa recuava 0,08%, aos 57.955 pontos. 
A aversão a ativos de risco no mundo é motivada pela chance de uma retomada do aperto monetário nos Estados Unidos no curto prazo, aposta que ganhou força na sexta-feira passada com o discurso incisivo do presidente da distrital do Federal Reserve em Boston, Eric Rosengren. A fala do dirigente, que afirmou que há uma "justificativa razoável" para a elevação dos juros nos EUA de forma a evitar o superaquecimento da economia, ainda ecoa nos mercados.
Em Wall Street, o Dow Jones perdia 0,21%, o S&P 500 recuava 0,10% e o Nasdaq tinha queda de 0,02% na manhã desta segunda-feira. A expectativa volta-se agora para a diretora do Fed Lael Brainard, que discursa a partir das 14 horas e, assim como Rosengren, tem poder de voto nas decisões de política monetária do banco central norte-americano.
Fora da discussão relativa aos juros, a retração nos preços futuros do petróleo também contribui para a fuga de ativos de risco.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia