Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 06 de setembro de 2016. Atualizado às 21h29.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

telecomunicações

Alterada em 06/09 às 21h31min

Laudo da EY avalia bens e ativos do grupo Oi em R$ 49,427 bilhões, a valor de mercado

A consultoria Ernst & Young (EY) Assessoria Empresarial, à pedido da Oi, fez um laudo de avaliação dos bens e ativos da empresa que aponta para um valor total de R$ 49,427 bilhões, a valor de mercado. O documento servirá de subsídio ao plano de recuperação da empresa, apresentado na segunda-feira, 5, à 7ª Vara Empresarial do Rio.
Do total citado, R$ 8,157 bilhões são referentes a bens imóveis, como terrenos, construções e benfeitorias, assim como benfeitorias em imóveis de terceiros. Outros R$ 35,559 bilhões dizem respeito a bens móveis, como máquinas e equipamentos, infraestrutura, equipamentos de informática, móveis e utensílios, veículos e instalações.
Conforme a EY, o laudo, que tem como data base 30 de junho de 2016, objetivou a avaliação dos bens e ativos das empresas em recuperação classificados como reversíveis, assim como os que não fazem parte do objeto da concessão.
Considerando o valor original contábil, o valor total dos ativos e bens do grupo é de R$ 128,593 bilhões. Já o valor residual contábil é de R$ 28,013 bilhões. O laudo aponta ainda que os bens e ativos da empresa, a valor de liquidação forçada, é de R$ 23,134 bilhões.
A EY destaca que foram utilizados fatos históricos, informações macroeconômicas e de mercado, bem como informações e dados disponibilizados pelo grupo Oi e por seus funcionários, administradores, consultores e demais prestadores de serviço. Os dados, no entanto, não foram auditados e/ou tiveram sua veracidade investigados pela consultoria.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia