Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 06 de setembro de 2016. Atualizado às 16h59.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

VAREJO

Alterada em 06/09 às 17h00min

MasterCard: vendas no varejo encolhem 4,3% em julho ante julho de 2015

As vendas no comércio varejista brasileiro tiveram queda de 4,3% em julho ante julho de 2015, de acordo com o relatório MasterCard SpendingPulse. A queda média dos últimos três meses foi de 4,2%, uma ligeira melhora em relação à média do segundo trimestre do ano (-4,5%).
Os destaques positivos entre os setores pesquisados foram material de construção, que subiu levemente na comparação anual, e produtos farmacêuticos, que caíram menos que a média total do varejo. O e-commerce avançou 2,2% em julho ante o mesmo mês do ano passado.
"Embora o varejo continue a realizar esforços, há sinais de que a situação possa ter atingido um nível crítico. O ambiente macroeconômico continua a enfrentar diversos desafios, o que torna fraca a perspectiva de curto prazo", afirma Kamalesh Rao, diretor de pesquisa econômica na MasterCard Advisors.
Na divisão geográfica, houve queda em todas as regiões em julho. A retração mais acentuada foi registrada no Sul (-6,7%), seguido do Norte (-6,6%), Nordeste (-5,3%), Sudeste (-3,3%) e Centro-Oeste (-2,5%).
O SpendingPulse é um indicador macroeconômico que informa sobre gastos no varejo nacional e o desempenho do consumo. O relatório é baseado nas atividades de vendas na rede de pagamentos MasterCard, juntamente com as estimativas para todas as outras formas de pagamento, incluindo dinheiro e cheque. O relatório, bem como as previsões de tendências de gastos, não reflete ou se relaciona com o desempenho operacional e financeiro da MasterCard.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia